PROGRAMAÇÃO

21 DE SETEMBRO DE 2016 | QUARTA-FEIRA

17h00 CREDENCIAMENTO
   
19h00

SOLENIDADE DE ABERTURA

Paulo Umberto Stumpf (Reitor da Dom Helder)
Franclim J. Sobral de Brito (Reitor da EMGE)
Márcio Lacerda (Prefeito de Belo Horizonte)
Luís Cláudio Chaves (Vice-Presidente da OAB-Federal, Prof. da Dom Helder)
Jairo José Isaac (Secretário de Estado de Meio Ambiente de MG – SEMAD)
José Ivo Follman (Vice-Reitor da UNISINOS)
Sebastien Kiwonghi (Pró-Reitor da Pós-Graduação da ESDHC)
José Adércio Sampaio (Coordenador da Pós-Graduação da Dom Helder)
   
19h30min

CONFERÊNCIA DE ABERTURA

André Trigueiro (Globo News)
Debatedor: José Adércio Sampaio (Procurador da República, Prof. da Dom Helder)

   

22 DE SETEMBRO DE 2016 | QUINTA-FEIRA

9h00

PAINEL I

Tema: COP 21 – Mudanças Climáticas I
Palestrante I: Susana Borràs (Profa. da Universidade de Tarragona/Espanha).
Palestrante II: Bleine Queiroz (UNIFOR - Universidade de Fortaleza)
Debatedor: André de Paiva Toledo (Professor da Dom Helder Câmara).

10h45min

PAINEL II

Tema: COP 21- Mudanças Climáticas II

Palestrante: Lyssandro Norton Siqueira (Dom Helder Câmara).
Palestrante II: Kiwonghi Bizawu (Dom Helder Câmara).
Debatedor: José Claudio Junqueira (Prof. da Dom Helder Câmara)

14h00 às 17h00

GRUPOS DE TRABALHO

Grupos de trabalho de 1 a 12:

  1. Mineração e Desenvolvimento Sustentável: Romeu Thomé (Prof. da Dom Helder).
  2. Competências Ambientais e Segurança Jurídica: Luiz Gustavo (Prof. da Dom Helder.
  3. Patrimônio Histórico-Cultural e Licenciamento Ambiental: Magno Federici (Prof. da Dom Helder) e José Cláudio (Prof. da Dom Helder)
  4. Direito Internacional do Meio Ambiente: André de Paiva Toledo (Prof. da Dom Helder).
  5. Responsabilidade Civil frente aos Desastres Ambientais: Élcio Nacur (Prof. da Dom Helder) e Paulo Affonso Leme Machado (Prof. da Dom Helder)
  6. PanAmazônia e a Proteção Socioambiental: Beatriz Souza Costa (Profa. da Dom Helder) e Ana Virgínia Gabrich (Profa. da Dom Helder)
  7. Segurança Alimentar e Meio Ambiente: Maraluce Custódio (Profa. da Dom Helder) e Bruno Torquato (Prof. da Dom Helder)
  8. Filosofia e Socioambientalismo: Emilien Vilas Boas (Prof. da Dom Helder).
  9. Constitucionalismo, Economia e Desenvolvimento Sustentável: Márcio Luís de Oliveira (Prof. da Dom Helder).
  10. Direitos Humanos e Desenvolvimento Sustentável: João Batista Moreira Pinto (Prof. da Dom Helder) e Caio Lara (Prof. da Dom Helder)
  11. Refugiados Climáticos: Sebastien Kiwonghi (Prof. da Dom Helder).
  12. Compliance Ambiental: José Antônio Sousa (Prof. da EMGE) e Franclim Brito (Reitor da EMGE)
   
19h00

PAINEL III

Tema: Mineração e Economia
Palestrante I: Talden Farias (Universidade Federal da Paraíba).
Palestrante II: Jorge Nogueira (Prof. da UnB) )
Palestrante III: Celso Antônio Pacheco Fiorillo. (Professor da FADISP/SP, programa de Mestrado e Doutorado.)
Debatedor: Marcelo Kokke (Prof. da Dom Helder)

21h00

PAINEL IV

Tema: Mineração e Seguro ambiental
Palestrante I: Délton Winter de Carvalho (Prof. da Unisinos)
Palestrante II: Luiz Oosterbeek (Prof. Tomar, Portugal)
Debatedor: Magno Federici (Prof. da Dom Helder)

   

23 DE SETEMBRO DE 2016 | SEXTA-FEIRA

9h00

PAINEL V

Tema: Panamazônia I
Palestrante I: Maurício López (REPAM)
Palestrante II: Valmir César Pozzetti (Universidade Federal do Amazonas)
Debatedor: Márcio Luís (Prof. da Dom Helder)

10h45min

PAINEL VI

Tema: Panamazônia II
Palestrante I: Saverio Di Benedetto (Univ. De Salento Itália)
Palestrante II: Riccardo Pavoni (Siena)
Debatedor: Beatriz Souza Costa (Prof.ª da Dom Helder)

   
19h00

PAINEL VII

Tema: Arbitragem Ambiental
Palestrante: Carlos Eduardo Ferreira Pinto (Coordenador Geral das Promotorias de Justiça por Bacias Hidrográficas e do Núcleo de Resolução de Conflitos Ambientais - NUCAM).
Debatedor: Élcio Nacur Rezende (Prof. da Dom Helder)

20h00min

SOLENIDADE DE HOMENAGEM AO PROF. DR. PAULO AFFONSO LEME MACHADO
Palestrante: Ministra Carmen Lúcia (Ministra do Supremo Tribunal Federal - STF)
Conferencista: Jorge Franza (Prof. da Universidad Buenos Aires)
Presidente: Paulo Umberto Stumpf (Reitor da Dom Helder)
Franclim J. Sobral de Brito (Reitor da EMGE)
Josafá Carlos de Siqueira (Reitor da PUC-Rio)

   
21h00

APRESENTAÇÃO ARTÍSTICA

Geraldo Azevedo (Projeto Rio São Francisco)

   
   
22h30

Coquetel de congraçamento.

   

MINICURSOS

Data: 21 e 22 de setembro

Horário: 14h às 17h30

Palestrante: Jorge Atílio Franza

Tema: INTRODUCTORIO AL DERECHO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DEL DESARROLLO SUSTENTABLE EN ARGENTINA

Objetivo:

  1. Aprehender la complejidad básica inherente al ambiente y los recursos naturales, estudiando los principios que rigen la regulación de los mismos, los factores que afectan su equilibrio, particularmente refiriéndose a las actividades humanas, así como explicar la interrelación existente entre desarrollo sustentable y protección del ambiente.
  2. Analizar el surgimiento y evolución del derecho ambiental, la forma como este se va constituyendo en una disciplina jurídica transversal.
  3. Estudiar los principios que guían la conducta ambiental del estado en la elección de metas y medios con los cuales satisfacer las necesidades humanas de las generaciones presentes sin comprometer las de las generaciones futuras.
  4. Analizar las diversas variables que confluyen en la actividad regulatoria ambiental.
  5. Dominar las conceptualizaciones de sustentabilidad ecológica, social y económica en el marco del desarrollo sustentable.
  6. Interpretar los objetivos ambientales del Estado a corto, mediano y largo plazo al analizar los principales problemas de degradación ambiental que se padecen a nivel mundial, entre otros el deterioro de la capa de ozono, el cambio climático, la contaminación de las aguas marinas, etc., y como estos impactan en la región de América Latina y el Caribe.
  7. Caracterizar al derecho al ambiente como derecho humano.
  8. Estudiar las distintas variantes de política ambiental a corto, mediano y largo plazo.
  9. Determinar el bien jurídico tutelado por el derecho ambiental y la forma en como dicha protección se recoge en las constituciones políticas.
  10. Revisar los modelos de gestión ambiental que se han ensayado en los países de América Latina y el Caribe, comparándolos con los de otras regiones, así como el rol de la sociedad civil en la defensa del ambiente, particularmente el de las organizaciones no gubernamentales.

Introducción: “Catástrofes Ambientales”

  • UNIDAD Nº1: ANTECENTES DEL DERECHO AMBIENTAL.
  • UNIDAD Nº2: PRINCIPIOS GENERALES DEL DERECHO AMBIENTAL
  • UNIDAD Nº3: EL MEDIO AMBIENTE EN LA CONSTITUCION NACIONAL ARGENTINA
  • UNIDAD Nº4: DERECHO PUBLICO AMBIENTAL LOCAL
  • UNIDAD Nº5: LEYES DE PRESUPUESTOS MINIMOS DE PROTECCION AMBIENTAL.
  • UNIDAD Nº6: LA LEGITIMACION PROCESAL EN EL LITIGIO AMBIENTAL.
  • UNIDAD Nº7: AUTOGESTION AMBIENTAL
  • UNIDAD Nº8: EL NUEVO CODIGO CIVIL Y COMERCIAL (VIGENCIA AGOSTO DEL 2015) Y LA CUESTION AMBIENTAL EN ARGENTINA.
  • UNIDAD Nº9: EL FEDERALISMO Y EL MEDIO AMBIENTE.
  • UNIDAD Nº10: LA ENCICLICA LAUDATO SI Y SU APORTE A LA ETICA AMBIENTAL. 24 DE MAYO DE 2015 Y SU IMPACTO EN EL DERECHO AMBIENTAL GLOBAL.
  • UNIDAD Nº11: UNIDAD INTEGRATIVA DE CIERRE: LOS DESAFIOS DEL CONTROL SOCIAL Y LA SUSTENTABILIDAD.
Ver mais

INSCREVA-SE MATERIAIS CERTIFICADO


Data: 22 de setembro

Horário: 14h às 17h30

Palestrante: Susana Borràs

Tema: “La migración ambiental”

Título: “El coste humano de la degradación del medio ambiente: la migración ambiental” y el

EMENTA: Hace dos décadas atrás no se utilizaba el concepto de refugiado o desplazado ambiental. Hoy es un término de uso común, porque la crisis migratoria está estrechamente vinculada a la ambiental. Personas y pueblos enteros se han visto obligados a trasladarse desde su tierra natal, debido a problemas derivados con el ambiente, como desastres naturales y también por otras razones de devastación como son la deforestación, desertificación, inundaciones, o sequías, con la consecuente falta de agua, alimentos y energía, y riesgo de enfermedades, lo que hace que para estas personas, existan pocas o ninguna esperanza de retorno.

Lejos de los desastres naturales, como huracanes, ciclones, erupciones volcánicas y terremotos, que han forzado a muchísimas personas a abandonar sus hogares a lo largo de la historia de la humanidad, es necesario poner especial émfasis a la migración generada por la construcción de los denominados “proyectos de desarrollo”, como las represas hidroeléctricas, las industrias extractivas o los cultivos intensivos, así como los grandes accidentes industriales o los conflictos por los recursos naturales, los minerales estratégicos (oro, coltan, etc.), entre otros, que siguen alimentando el número de personas despojadas de su sustento más básico.

Según la Organización Internacional para las Migraciones (OIM) sitúa la cifra global en alrededor de 200 millones y que en las próximas cuatro décadas el número de desplazados ambientales llegaría a los mil millones. El Alto Comisionado de las Naciones Unidas para los Refugiados (ACNUR) ha estimado que al menos unas 30 millones de personas fueron desplazadas en el 2013 a consecuencia de alteraciones en el clima y desastres naturales; y que en la actualidad existen alrededor de 50 millones de refugiados en el mundo y en varios casos es posible conectar las causas de su desplazamiento con alteraciones climáticas.

En esta ponencia se analizarán cómo las cifras no logran superar la indefinición jurídica internacional actualmente existente, que no hace más que acrecentar la situación de vulnerabilidad y de inseguridad de estas personas frente a las consecuencias de las modificaciones ambientales. La dificultad de aislar el deterioro ambiental de otras variables que influyen en la migración, como la económica, pero también la protección fragmentada y sectorializada del medio ambiente ajena a las consecuencias del deterioro ambiental sobre los derechos humanos han sido algunos de los principales obstáculos. La urgencia y la necesidad de una respuesta adcueda exige voluntad política y una cooperación jurídica internacional reforzada para procurar una protección efectiva a los migrantes víctimas del deterioro ambiental y responsabilizar a sus causantes.

Ver mais

INSCREVA-SE MATERIAIS CERTIFICADO


Data: 23 de setembro

Horário: 14h às 17h30min.

Palestrante: Riccardo Pavoni

Tema: International Legal Protection of Biodiversity

EMENTA: inception and development of the biodiversity regime in international law - the evolution of the governance and status of genetic resources - the conservation of biodiversity as a common concern of humanity - the Convention on Biological Diversity and its triple objective - the regulation of genetically modified organisms under the Cartagena Protocol on Biosafety - access to genetic resources and benefit sharing under the 2010 Nagoya Protocol - indigenous and local communities, traditional knowledge associated with genetic resources and benefit sharing - intellectual property rights and genetic resources - status and governance of marine biodiversity and genetic resources - Sustainable Development Goals, the 2030 Agenda for Sustainable Development and the protection of biodiversity.

INSCREVA-SE MATERIAIS CERTIFICADO


Data: 23 de setembro

Horário: 14h às 17h30

Palestrante: Luiz Oosterbeek

Título: Gestão Cultural Integrada do Território: novos paradigmas socioculturais que requerem novos enquadramentos jurídicos

EMENTA: A dinâmica do contexto internacional que marca o início do III milênio evidencia uma tendência para a dissolução das formas tradicionais de organização sociocultural, com a correlata perda de eficácia das estruturas de governança, abrindo um horizonte de incerteza no curto e médio prazo. Questões como a grande aceleração, o questionamento crescente de fronteiras, as alterações ambientais, o alargamento dos territórios ocupados por Estados em desagregação, o terrorismo, a crise do sistema monetário internacional, o novo ciclo de grande depressão… são manifestações setoriais de um processo mais amplo de transição…. para um quadro novo, mas incerto e em grande medida imprevisível. Esta realidade exige adequações a todos os níveis, e a construção de uma agenda de transição que também tem relevantes consequências no plano jurídico. Após uma introdução aos vetores deste processo, abrir-se-á um debate de reflexão sobre o papel dos juristas no quadro de programas de Gestão Cultural Integrada dos Territórios.

INSCREVA-SE MATERIAIS CERTIFICADO


Data: 23 de setembro

Horário: 14h às 17h30

Palestrante: Saverio Di Benedetto

Título: Agroecologia e Direito Internacional

EMENTA: O direito internacional ocupa-se diretamente da tutela ambiental por meio de uma disciplina autônoma e substancialmente unitária, o direito internacional do meio ambiente. Por outro lado, não há uma disciplina autônoma destinada à agricultura. As normas que regem o setor agrícola estão dividas entre a realização de objetivos humanitários (combate à fome) e estratégicos (segurança alimentar); a liberalização do comércio (acordo da OMC sobre agricultura) e a proteção da propriedade intelectual (patentes biotecnológicas e indicações geográficas constantes do acordo TRIPs); e a tutela do meio ambiente.

Neste curso, após examinar rapidamente esses diversos tipos de normas internacionais sobre a agricultura, propor-se-á uma possível perspectiva de disciplina unitária que possa avançar sobre a ciência, ainda pouco estudada por juristas, da agroecologia. Trata-se de uma nova ideia de ecologia, que concebe a relação entre homem e natureza não em termos mutuamente excludentes – como na ecologia clássica – mas holística, compreendendo assim numerosos ecossistemas caracterizados pela presença humana. O exemplo mais importante é dado pelo próprio ecossistema moldado por meio da milenar ação física e cultural realizada pela comunidade rural, que é o objeto de estudo e sistematização por parte da agroecologia.

INSCREVA-SE MATERIAIS CERTIFICADO


CONFERENCISTAS

Ana Virginia

André de Paiva

André Trigueiro

Beatriz

Bleine Queiroz

Bruno Torquato

Caio Lara

Carlos Eduardo Ferreira Pinto

Carmen Lúcia

Celso Antônio Pacheco Fiorillo

Délton Winter

Elcio Nacur

Emilien Vilas Boas Reis

Franclim

João Batista

Jorge Franza

Jorge Madeira Nogueira

Josafá Carlos de Siqueira

José Adercio

José Antônio de Sousa Neto

José Cláudio

José Eugênio Soriano

José Ivo Follman

Kiwonghi Bizawu

Luís Cláudio Chaves

Luis Oosterbeek

Luiz Gustavo

Magno Federici

Maraluce Maria Custodio

Marcelo Kokke

Marcio Lacerda

Márcio Luis

Maurício Lopes

Paulo Affonso Leme Machado

Paulo Stumpf

Riccardo Pavoni

Romeu Thome

Saverio Di Benedetto

Sávio Souza Cruz

Susana Borràs

Talden Farias

Valmir Pozzetti

GRUPOS DE TRABALHO

Mineração e Desenvolvimento Sustentável

Os impactos socioambientais da mineração. A mineração como atividade de interesse nacional. Licenciamento ambiental das atividades minerárias. Barragens de rejetios da mineração. Compensação financeira por Exploração Mineral – CFEM. Plano de recuperação da área degradada – PRAD e fechamento de mina.

Com Romeu Thomé (Prof. da Dom Helder) e Susana Borràs (Profa. da Universidad de Tarragona/Espanha).

Competências Ambientais e Segurança Jurídica

Análise e compreensão dos conceitos e características das competências ambientais, em vista de sua divisão, natureza (executiva, administrativa e legislativa) e extensão (exclusivas, privativas, comuns, suplementares e concorrentes). Competências ambientais na Constituição Federal de 1988: repartição das competências ambientais entre os entes federativos. A divisão das competências no âmbito infraconstitucional, considerando disposições da Lei Complementar n. 140/11, Decreto 8.437/15 e Resolução CONAMA 237/97. Confrontações de competências em licenciamentos e atuação fiscalizatória dos órgãos ambientais. Conflitos normativos e disciplina ambiental divergente entre entes federativos. Perspectivas futuras e gestão ambiental. Aprimoramento das competências ambientais em prol de maior e melhor efetividade do Direito Ambiental e da Sustentabilidade como direito intra e intergeracional. Regulação jurídica ambiental, alteração de condicionantes ambientais, transferência de licenciamentos e segurança jurídica nas relações entre empreendedores e órgãos ambientais.

Com Luiz Gustavo (Prof. da Dom Helder) e Jorge Nogueira (Prof. da UnB)

Patrimônio Histórico-Cultural e Licenciamento Ambiental

Patrimônio cultural geral e imaterial. Poder de polícia ambiental e ambiental cultural. Instrumentos de salvaguarda do patrimônio cultural imaterial. Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC). Registro de bens culturais de natureza imaterial. Plano de Salvaguarda. Licenciamento ambiental. Princípios da precaução, prevenção e cooperação. Competência. Processos administrativos ambientais de controle prévio. Processos declaratórios de viabilidade ambiental. Processos declaratórios de dipensa de licenciamento. Cadastros ambientais. Processos de comunicação prévia do exercício de atividade ao órgão ambiental. Processos de licenciamento e autorização ambiental. Modalidades de licenciamento ambiental. Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e Relatório de Impacto Ambiental (RIMA). Processos adminitrativos ambientais de controles sucessivo. Porcessos de avaliação de medidas de controle ambiental. Processos fiscalizatórios. Participação Popular nos processos de licenciamento. Resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA).

Com Magno Federici (Prof. da Dom Helder) e José Cláudio (Prof. da Dom Helder)

Direito Internacional do Meio Ambiente

História do Direito Internacional do Meio Ambiente. Direito Internacional e Desenvolvimento Sustentável. Proteção internacional ambiental no âmbito das organizações internacionais. Soberania sobre os recursos naturais. Obrigação de não causar danos ao ambiente de outro Estado ou em espaço fora da jurisdição nacional. Cooperação internacional como condição para a preservação do meio ambiente. Combate às mudanças climáticas. Poluição atmosférica e destruição da camada de ozônio. Impactos ambientais sobre os recursos hídricos. Gestão de recursos d’água internacionais. Implicações jurídicas do combate à seca, erosão e desertificação. Proteção do meio ambiente marinho. Conservação dos recursos biológicos do mar. Mecanismos internacionais de proteção da biodiversidade. Perspectivas da proteção internacional dos direitos dos animais. Povos autóctones e conhecimento tradicional. Combate à biopirataria. Transferência de tecnologia e partilha de benefícios da utilização de recursos naturais. Direito Internacional e Agroecologia. Regulamentação internacional sobre o lixo e substâncias perigosas. Utilização pacífica da energia nuclear. Responsabilidade internacional por dano ambiental. Proteção do patrimônio mundial, cultural e natural. Danos ambientais em espaços internacionalizados. Comércio internacional e meio ambiente. Proteção internacional dos trabalhadores. Meio ambiente e Direitos Humanos.

Com André de Paiva Toledo (Prof. da Dom Helder) e Talden Farias (Prof. da UFPB)

Responsabilidade Civil frente aos Desastres Ambientais

Responsabilidade Civil Ambiental. Desastres Ambientais diretamente provocados pela atuação humana. Desastres ambientais indiretamente provocados pela atuação humana. A Flexibilização do Nexo Causal. Aplicabilidade da Teoria do Risco Integral. Aplicabilidade da Teoria do Risco Criado. Critérios de fixação da indenização. Métodos de reparação do Meio Ambiente Degradado

Com Élcio Nacur (Prof. da Dom Helder) e Paulo Affonso Leme Machado (Prof. da Dom Helder)

PanAmazônia e a Proteção Socioambiental

Direitos socioambientais que permeiam os países constituintes da Panamazônia. Demarcação de terras indígenas e consequências sociais e ambientais. A exploração dos recursos biológicos e genéticos, e evasão de divisas. Legislação que protege os recursos hídricos. Existência de legislação de proteção especial às espécies animais e vegetais ameaçadas de extinção. Amazônia e aquecimento global. Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) e proteção dos países signatários.

Com Beatriz Souza Costa (Profa. da Dom Helder) e Ana Virgínia Gabrich (Profa. da Dom Helder)

Segurança Alimentar e Meio Ambiente

Refletir sobre: Conceito Jurídico de Segurança Alimentar; Direito fundamental e/ou Humano à alimentação adequada; Tratados que garantem alimentação adequada; Direito a segurança alimentar como Direito Constitucionalmente reconhecido; Lei 11.346/06; Lei de Agrotóxicos; Segurança alimentar como fator de desenvolvimento sustentável; Segurança alimentar e proteção dos Direitos Culturais e à Cultura; Políticas Públicas de garantia a alimentação adequada e/ou como Direito Cultural: Proteção da biodiversidade e produção de alimentos; Direito de acesso à informação alimentar; Direito a alimentação adequada e sua relação com o direito à saúde, e/ou meio ambiente ecologicamente equilibrado; Áreas Publicas e produção de alimentos como direito à apropriação publica de espaços; alternativas de produção alimentar e meio ambiente.

Com Maraluce Custódio (Profa. da Dom Helder) e João Paulo Capobianco (Prof. da USP)

Filosofia e Socioambientalismo

A busca por uma sociedade sustentável tem sido um dos temas mais pertinentes do Direito Ambiental. O Socioambientalismo, no Estado Democrático de Direito, vem propor que a sustentabilidade ambiental e a sustentabilidade social devem buscar uma sociedade onde prevaleça a justiça social. O diálogo com a tradição filosófica permite que se esclareça e que se fundamente o conceito e os temas associados ao socioambientalismo (meio ambiente, sustentabilidade, biodiversidade, democracia, cultura).

Com Emilien Vilas Boas (Prof. da Dom Helder) e Maurício Lopez (Secretário da REPAM)

Constitucionalismo, Economia e Desenvolvimento Sustentável

Refletir sobre: o conceito de desenvolvimento socioambiental; como o desenvolvimento socioambiental vem sendo objeto de normatização pelo constitucionalismo contemporâneo; como a economia pós-positivista aborda o tema do desenvolvimento socioambiental; capitalismo e desenvolvimento socioambiental; socioalismo democrático e desenvolvimento socioambiental.

Com Márcio Luís de Oliveira (Prof. da Dom Helder) e Patryck Ayala (Prof. da UFMT)

Direitos Humanos e Desenvolvimento Sustentável

Refletir sobre: Os Direitos Humanos como um projeto de sociedade. O processo de constituição sócio-histórico e político dos Direitos Humanos e do Desenvolvimento Sustentável. Ambiguidades no campo dos Direitos Humanos e do Desenvolvimento Sustentável. Os Direitos Humanos e o Desenvolvimento Sustentável no âmbito institucional: as conferências, as regulações e os procedimentos internacionais. Concepções de Direitos Humanos e de Desenvolvimento Sustentável. O processo de efetivação dos Direitos Humanos e do Desenvolvimento Sustentável: do local ao global. As ambiguidades e contradições no campo dos Direitos Humanos e do Desenvolvimento Sustentável a partir da realidade. Elementoss caracterizadores dos Direitos Humanos e do Desenvolvimento Sustentável. Os diversos atores do processo de constituição dos Direitos Humanos e do Desenvolvimento Sustentável. O papelo do Direito, do Judiciário e dos operadores do Direito na efetividade dos Direitos Humanos e do Desenvolvimento Sustentável.

Com João Batista Moreira Pinto (Prof. da Dom Helder) e Caio Lara (Prof. da Dom Helder)

Refugiados Climáticos

O grupo de trabalho Refugiados Climáticos ou Ecológicos tem por objetivo refletir sobre as degradações ambientais e a situação de milhares de pessoas que não são deslocadas de seus lugares. Busca-se refletir sobre as terminologias e a ausência de proteção jurídica dos refugiados climáticos e a inadequação dos textos jurídicos (convenções, protocolos) à nova categoria de pessoas deslocadas. Procura-se descobrir as principais causas que provocam os deslocamentos de milhares de pessoas e levantar as estatísticas de uma maneira global de acordo com os relatórios da Organização das Nações Unidas. Destacar-se-á a necesssidade de um estatuto para os refugiados climáticos e dos seu reconhecimento jurídico.

Com Sebastien Kiwonghi (Prof. da Dom Helder) e Jorge Franza (Prof. da Universidad Buenos Aires – Argentina)

Compliance Ambiental

O presente Grupo de Trabalho discutirá os seguintes tópicos: o conceito de Compliance e suas intercessões com a ciência da Administração, o Direito e a Economia; a estrutura interna de Compliance em sociedades empresárias; as exigências de um sistema de integridade operante; as exigências normativas em jurisdição brasileira sobre sistemas de integridade; as exigências extrajurisdicionais dos sistemas de integridade; a noção de ongoing concern e a sua aplicação no âmbito ambiental; o papel do Compliance no relacionamento entre regulador e regulado na aplicação efetiva de normas voltadas às ações de risco sistêmico; o papel do Compliance nos mecanismos empresariais de Gestão de Riscos Ambientais; funções de Compliance de Auditoria, investigações Internas e produção documental; o papel e a responsabilidade do Compliance Officer e dos tomadores de decisão da sociedade empresária; o Compliance aplicado aos casos concretos de norma ambiental: lições de Mariana e de Fukushima; perspectivas de Compliance no desenvolvimento de novas normas de caráter ambiental.

Com José Antônio Sousa (Prof. da EMGE) e Franclim Brito (Reitor da EMGE)

COMISSÕES ORGANIZADORAS

  • A. TÉCNICA
  • a. Ana Virgínia Gabrich F. F. Ramos
  • b. Francisco Haas
  • c. Franclim J. Sobral de Brito (Coordenador)
  • d. Maria Flávia Cardoso Máximo
  • e. Marina Sá de Oliveira
  • B. CIENTÍFICA
  • a. Beatriz Souza Costa
  • b. José Adércio Leite Sampaio (Coordenador)
  • c. Maraluce Maria Custódio
  • d. Marcelo Kokke

Inscrições

Valor (Congresso + Show de encerramento)

1º lote

2º lote

3º lote

Categoria

Até 19/07/2016

20/07 a 09/08/2016

10/08 a 20/09/2016

Estudantes de graduação Dom Helder*

100,00 + 25,00

120,00 + 25,00

150,00 + 25,00

Estudantes de graduação

120,00 + 25,00

144,00 + 25,00

180,00 + 25,00

Estudantes de Pós-graduação Dom Helder

120,00 + 25,00

144,00 + 25,00

180,00 + 25,00

Estudantes de Pós-graduação

150,00 + 25,00

180,00 + 25,00

225,00 + 25,00

Professores Dom Helder

-

-

-

Professores/profissionais

160,00 + 25,00

192,00 + 25,00

240,00 + 25,00

*Será validado como um Seminário Temático ou como 30 horas
de atividades complementares em uma das áreas: ensino,
pesquisa, extensão
[ ESGOTADO ] [ ESGOTADO ] [ ESGOTADO ]

ENVIE SEU ARTIGO

A submissão do artigo deve ser feita até dia 19/07.
O artigo deverá ser submetido através do site do CONPEDI.
O usuário deverá acessar a "ÁREA DO ASSOCIADO" no site do CONPEDI, se a pessoa não tem o cadastro deverá fazer o seu.
Se já tem o cadastro bastará acessar a primeira opção "IV CONGRESSO INTERNACIONAL DE DIREITO AMBIENTAL"

Edital

Artigos Aprovados

PATROCINADORES

REALIZAÇÃO

PATROCÍNIO

APOIO

LOCALIZAÇÃO

ESCOLA SUPERIOR DOM HELDER CÂMARA

R. Álvares Maciel, 628, Santa Efigênia, Belo Horizonte - MG

HOSPEDAGEM

Desconto especial para Participantes do IV Congresso Internacional em Direito Ambiental

SINGLE – 194,00 + 15%
DUPLO – 244,00 + 15%

(+55 31) 2111-8946
Avenida Afonso Pena, 3761 | Belo Horizonte
www.atlanticahotels.com.br



IV Congresso Internacional de Direito Ambiental
Escola Superior Dom Helder Câmara - Rua Álvares Maciel, 628, Santa Efigênia - Belo Horizonte, MG
21, 22 e 23 de setembro de 2016