Pular para o conteúdo
h2 class="titulo-posts">Categoria: Graduação


Estudantes da Dom Helder colam grau em noite solene

Emoção, sonho e vitória foram algumas das palavras escolhidas pelos formandos do turno da noite para descrever o sentimento que marcou a cerimônia solene de colação de grau realizada neste sábado (5), na sede da Dom Helder Escola de Direito. “Uma palavra não dá. Pode ser uma frase? Valeu a pena. Valeu muito a pena”, afirmou Leandro Moreira de Assis. Bastante emocionado, o formando destacou o empenho e a dedicação de toda a turma para superar as dificuldades e conquistar o diploma. “Formar em uma instituição conceito máximo no MEC não é para qualquer um. Foi uma caminha árdua, mas muito gratificante. É um sonho que se realiza”, contou.

A colega Fabiana Aguiar Lacerda também sonhava com este momento. “É uma euforia, dá vontade de chorar, de rir, de gritar e sair correndo. Muito boa essa sensação. Mas a conquista não é só minha: é do meu esposo, do meu filho, da minha mãe”, compartilhou a formanda. Durante todo o curso, ela participou ativamente das atividades propostas pela Escola e atuou ainda como representante de turma. “O que vou levar desses anos na Dom Helder é o compromisso com a justiça e com a verdade, sempre. De seguir no caminho mais reto, levando a moral acima de tudo”, afirmou Fabiana, que pretende agora atuar como advogada na área tributária.

A formanda Janaína dos Anjos, por sua vez, destacou o ensino de qualidade oferecido pela Escola e as amizades conquistadas durante o curso. “É um momento bastante esperado. Tive muitas dificuldades para chegar até aqui, mas agora estou sentindo uma enorme satisfação, não tem nem como explicar”, contou com lágrimas nos olhos.

Clique aqui, confira a matéria completa e o álbum de fotos!

Texto: Patrícia Azevedo /DomTotal
Fotos: Patrícia Almada / DomTotal

Formandos celebram missa de ação de graças

Formando da Dom Helder Escola de Direito rendem graças pela conclusão do curso de Direito

Depois de anos de dedicação, os alunos da Dom Helder Escola de Direito celebraram na noite desta quinta-feira (3) a missa solene de ação de graças na simbólica Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem, localizada no Bairro Funcionários, Região Centro-Sul de BH. A missa reuniu as turmas que concluíram a graduação do primeiro semestre de 2017 dos turnos manhã, noite e integral, além de pais, amigos e familiares.

Acolhendo todos os que ali estavam para agradecer, a aluna Luciane Guimarães fez a abertura da cerimônia. Ela destacou a importância da presença de todos para celebrar o momento de conquista. “Queremos agradecer a Deus a caminhada realizada por nós e pedir as luzes do Espírito divino em nosso favor, a fim de que, com honestidade, possamos pôr a serviço o fruto de nossos estudos”, finalizou.

Homilia

Durante a homilia, o padre Alejandro Fábio, que presidiu a celebração, buscou recobrar aos formandos a importância da sua profissão. “Busquemos utilizar o conhecimento para melhorar o mundo, pois hoje precisamos de muitos jovens que se comprometam a amar e procurar a justiça”, ressaltou.

“Temos que agradecer a Deus aqueles dons que Ele nos oferece. Somos chamados a colocar os dons que dele ganhamos, como a profissão e o nosso conhecimento, ao serviço do seu Reino”, finalizou.

Declarações

“Hoje é um dia muito especial e de agradecimentos. Me sinto muito aliviada. Antes mesmo de formar passei na OAB, tirei um peso das minhas costas. Sou muito agradecida pela Dom Helder que sempre me deu muita estrutura”, disse Thais Lazareno aluna da instituição.

Maria Helena, tia da graduando Luciana Dolabela, veio de São Paulo especialmente para celebrar a formatura da sobrinha. “É com muita alegria que eu acompanho a segunda formatura da Luciana, a casa está em festa”, disse.

Para o aluno Gustavo Lacerda, agradecer é uma virtude de quem não se conhece sozinho, sabe que precisa de outras pessoas para caminhar. “Eu sou muito grato a Deus por esse momento, primeiro pela vida que ele nos dá e, em segundo, pela força para chegar até aqui. Chegar ao final desta caminhada é uma mistura de sentimentos, de alivio, missão cumprida, mas também de expectativa com o novo”.

Colação

A missa desta noite marcou o começo das celebrações dos formandos nesta semana. Na próxima sexta-feira (4) e sábado (5) eles vão participar das solenidades de colação de grau, que ocorrem na Dom Helder Escola de Direito.

Texto: Cássia Maia / DomTotal
Fotos: Gilmar Pereira / DomTotal

Alunos da graduação apresentam monografias na Dom Helder

Férias para uns, estudo e trabalho para outros. Foi assim que neste mês de julho alunos da Dom Helder Escola de Direito defenderam, com dedicação e empenho para conseguir a aprovação, suas monografias.

Com temas variados, os estudantes apresentaram os resultados de seus estudos para professores convidados da Instituição, alguns acadêmicos e convidados externos que prestigiaram as defesas.

Resíduos sólidos

A aluna Betânia Dorna de Oliveira Ferreira, defendeu o trabalho “O Consumismo e a obsolescência programada: Fatores de produção de resíduos”. De acordo com a estudante, o objetivo foi analisar como o consumismo como todo e a obsolescência programada podem contribuir para o aumento da produção de resíduos sólidos.

Como conclusão, Betânia apresentou algumas soluções: “Realmente o consumismo e a obsolescência programada estão muito interligados. Porque um fomenta o outro. O fato das empresas criarem novas tecnologias e designers para os produtos estimula o desejo de se adquirir mais e mais. Como consequência temos o aumento dos resíduos sólidos. Com isso, se propõe que os consumidores sejam conscientizados e que o Inmetro, por ser um órgão regulador, fiscalize os produtos, criando uma lista anexa ao código do consumidor, podendo aumentar a garantia legal do produto e também definir o tempo de fornecimento de peças dos produtos, gerando assim menos resíduos sólidos”.

Para a aluna, a experiência de fazer uma defesa, com banca examinadora foi proveitosa: “Foi muito interessante, pois permite que a gente mostre o conteúdo da pesquisa para outras pessoas, além da troca de experiências com os professores. Pretendo ir para o mestrado, mas estou analisando ainda como será minha vida profissional”, disse.

Direito de Imagem

O estudante Gianno Lopes Nepomuceno defendeu sua monografia “Direito da Personalidade: violações dos direitos das pessoas públicas, imagem, privacidade, intimidade”.

Para o aluno, o uso da internet trouxe problemas em questão de imagem. “Hoje em dia vivemos na era digital e, com isso, a imagem da pessoa, seja ela pública ou comum, passa por violações e propagações. Sendo assim, quais as proteções do arcabouço jurídico que tutelam esses direitos da personalidade, seja imagem, privacidade, intimidade ou honra? Eles são totalmente seguros para proteção desses direitos da personalidade na era digital? ”, questiona.

Como conclusão, Gianno disse que não existe uma moldura adequada dos casos digitais. “Temos que buscar ponderação e equidade fundamentando-nos na supremacia da Constituição Brasileira como fonte primária solução desses conflitos”, acrescenta.

Sobre a experiência de defender a monografia, Gianno disse que foi engrandecedor. “Tenho enorme gratidão pela Dom Helder que me proporcionou e proporciona viver experiências importantes na graduação. Além disso, colaborou para meu crescimento pessoal e profissional”, disse.

Responsabilidade penal ambiental

A aluna Tayara Souza Vitor defendeu o trabalho “Responsabilidade penal ambiental da pessoa jurídica no Direito brasileiro”. O objetivo foi analisar a responsabilidade penal da pessoa jurídica que comete crimes ambientais. “Observa-se que com a necessidade de se assegurar o direito fundamental de todos a um meio ambiente ecologicamente equilibrado para as presentes e futuras gerações, e cumprir o mandamento constitucional preconizado no art. 225, o Direito Penal é chamado a intervir, sendo que um dos vieses de sua atuação diz respeito a responsabilização do ente coletivo”, diz trecho da pesquisa.

Conforme a conclusão do trabalho, “a previsão da responsabilidade penal da pessoa jurídica se manifesta como um grande avanço na legislação brasileira, significando uma alternativa para combater a impunidade dos entes coletivos, propagando-se a necessidade de se buscar o desenvolvimento econômico em conluio com a proteção ao meio ambiente e dos recursos naturais”.

Defesas

Outros temas foram apresentados no decorrer do mês, como “A extensão dos danos ambientais nos crimes contra a humanidade: uma análise quanto à possibilidade do exercício da jurisdição ambiental do Tribunal Penal Internacional a partir do documento publicado pelo Escritório do Procurador em 2016”, apresentada pela aluna Paula Rezende Castro; “Desapropriação de propriedade rural produtiva para fim de reforma agrária”, defendido pela estudante Dayane Cristina de Souza Rei; “O Direito do pai de acompanhar a gestação do filho”, trabalho feito por Geordania Júnia da Silva; “Auxílio-reclusão: aplicabilidade e efetividade dos requisitos objetivos para sua concessão”, apresentada por Paola Alexandre da Conceição; “Terceirização na Empresa Pública: Isonomia”, defendido pela aluna Marcela Dias Bonfim; e “Tribunal do Juri”, apresentado por Marina Marinho e Figueiredo.

Clique aqui e confira agenda de defesas

Clique na foto abaixo e confira a apresentação das bancas dos graduandos.

Texto: Patrícia Almada / DomTotal
Fotos: Patrícia Amada / Cássia Maia / DomTotal

Escola de Direito Dom Helder fica em primeiro lugar

Os resultados do Exame Nacional de desempenho dos Estudantes (ENADE) dos Cursos de Graduação em Direito foram publicados pelo MEC, no último dia 8 de março, e a Escola de Direito Dom Helder se destacou mais uma vez.

A atualização dos demais conceitos de qualidade aconteceu na semana seguinte e o MEC colocou a Graduação em Direito da Dom Helder em primeiro lugar dentre as Instituições com Curso de Direito na Grande BH.

Clique aqui e leia a matéria completa!

Dom Helder: alegria e homenagens marcam colação de grau

Pró-reitor de Extensão, Francisco Haas, confere grau í  juramentista da turma. (Thiago Ventura/DomTotal)

Sonho realizado. Neste sábado (4), 90 formandos da Escola Superior Dom Helder Câmara colaram grau em noite solene e receberam o aguardado título de bacharéis em Direito. A cerimônia foi presidida pelo professor Francisco Haas, pró-reitor de extensão, e reuniu os alunos das turmas da noite que concluíram a graduação no segundo semestre de 2016.

‘Esperamos por este momento desde o primeiro dia de aula. É muita alegria. Só tenho elogios a fazer, porque aqui passei os melhores anos da minha vida’, contou a formanda Lívia Rêda, uma das primeiras a chegar à sede da Escola.

Confira a notícia completa!

Patrícia Azevedo/DomTotal

Direito í  saúde e os limites do sistema registral brasileiro são temas de monografias

A fim de concluírem o curso de graduação em Direito, nesta terça-feira (13), as alunas Fernanda Amaral e Daniela Cristina Oliveira apresentaram seus temas de monografia na Dom Helder Escola de Direito.

No trabalho acadêmico “Direito Fundamental à saúde – Princípio da Proibição do Retrocesso”, Fernanda Amaral mostrou que o Estado deve conferir o direito à saúde a todos, nos termos do artigo 196 da Constituição Federal, sem nenhum regresso, independente de qualquer justificativa que possa existir, seja de cunho econômico, político ou social.

Na análise de Fernanda, ‘a garantia de saúde a todos não ocorre, pois o Estado insisti em alegar falta de recursos econômicos ou as precariedades das politicas públicas existentes, que impossibilitam a melhora na área da saúde e justificam os retrocessos’.

Sistema de registro brasileiro

Já no trabalho de Daniela Cristina Oliveira o sistema de registro de propriedade entra em destaque na monografia intitulada “O serviço registral brasileiro na garantia do direito de propriedade”.

A monografia analisa a “efetividade do sistema registral imobiliário brasileiro na garantia do direito fundamental à propriedade, passando por um histórico da propriedade no Brasil e suas formas de aquisição, aponta algumas falhas existentes no nosso sistema registral, comparando-o com os sistemas de outros países, bem como indica possíveis soluções para tornar o registro imobiliário mais seguro e eficaz”.

Confira as fotos das defesas!

Escola lança site e estande para inscriçíµes para TRIe

Tribunal busca trazer a experiência do mundo das simulações para dentro da instituição.

Nesta quinta-feira (7), a Escola Superior Dom Helder Câmara dá o pontapé inicial nas atividades práticas do Tribunal Internacional Estudantil (TRIe). Um estande foi montado na recepção da Escola especialmente para tirar dúvidas e realizar o cadastramento das equipes interessadas. Ele funcionará diariamente, durante o horário de aulas dos turnos manhã e noite.

Equipes

Para realizar a inscrição, é necessário informar a equipe completa, com dois alunos do Direito Convencional, dois do Direito Integral e dois estudantes do ensino médio. Não é possível se inscrever individualmente. O prazo vai até o dia 29 de agosto.

Informações

Também nesta quinta-feira (7), entra no ar a página eletrônica do Tribunal, com regulamento completo, notícias, informações sobre a premiação e o cronograma das atividades. A escolha do tema a ser trabalhado pelas equipes acontece já na sexta-feira (8). Saiba mais!

Lançamento e preparação

O Tribunal Internacional Estudantil foi lançado no dia 29 de abril deste ano, com palestra do ministro Antônio Augusto Cançado Trindade, da Corte Internacional de Justiça de Haia. Deste então, várias reuniões foram realizadas pela comissão organizadora para o planejamento das atividades. Em uma delas, Cançado Trindade marcou presença e deixou um recado para os estudantes. Confira o vídeo!

QUER CONHECER A DOM HELDER E A EMGE MAIS DE PERTO?

Estamos de portas abertas pra você!

Agende uma visita Tuor Virtual

© 2021 Escola Superior Dom Helder Câmara - Todos os direitos reservados - By: Renato Ferraz