Professores discutiram diretrizes para o semestre e acompanharam cursos sobre TCC e Prezi.

Nesta quinta-feira (3), o corpo docente da Dom Helder reuniu-se com o reitor da Escola, professor Paulo Stumpf SJ, e com demais integrantes da direção para discutir as diretrizes do semestre letivo. Desta vez, a pró-reitoria de Ensino colocou em prática um novo formato: ao invés de um único encontro, os professores foram divididos em dois grupos, com reuniões nos períodos da manhã e noite. “Temos muitas novidades, será um período intenso, com alguns feriados durante a semana. Mas o segundo semestre é assim mesmo, já adequamos nosso calendário letivo”, apontou a professora Anacélia Santos, pró-reitora de ensino, que coordenou os trabalhos.

Para dar as boas-vindas aos professores, Anacélia convidou o reitor da Escola, professor Paulo Stumpf SJ, que destacou a alegria de iniciar mais um semestre. “É muito bom reencontrar as amigas e os amigos que formam este corpo docente”, saudou. Como na recepção aos calouros, o reitor falou sobre as reformas e os investimentos para melhorar a infraestrutura física e tecnológica da Dom Helder. A metodologia de aula também passou por reformulações, que serão apresentadas aos estudantes no decorrer do semestre.

“Este trabalho começou no último ano, quando constituímos uma comissão, com o apoio do Núcleo de Ensino Personalizado (NEP), para discutir a nossa metodologia. Esses professores e especialistas realizaram um diagnóstico completo, estudaram outras escolas pedagógicas, visitaram instituições, participaram de seminários e congressos de tecnologia para a educação”, enumerou o reitor. Como resultado, uma nova metodologia foi proposta, tendo como base a pesquisa e a problematização do conhecimento.

“Não que a antiga metodologia fosse um problema para a nossa instituição. Com empenho e esforço, temos nos destacado cada vez mais pela qualidade do ensino, como apontam indicadores externos. A aprovação no exame da OAB foi novamente destaque. Mas achamos que podemos sempre ir além, melhorar o que já é muito bom”, afirmou Stumpf.

De acordo com o reitor, a nova metodologia já foi aplicada por alguns professores no primeiro semestre, em um projeto piloto. Na próxima semana, será inaugurada uma ‘sala modelo’, no segundo andar, com o que existe de mais inovador na área tecnológica. “E estaremos sempre avaliando este projeto, de forma a aprimorá-lo e expandi-lo”, completou Stumpf.

Congresso do conhecimento

Os integrantes da comissão também sugeriram a realização de um evento próprio – o Congresso do Conhecimento. As inscrições estão abertas para a comunidade acadêmica da Dom Helder e da Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE), e também para o público externo.

A nossa proposta é levar esta discussão sobre a nova metodologia a toda comunidade acadêmica. Dessa forma, deixo dois convites. O primeiro é que vocês, professores, participem conosco. E o segundo é que compartilhem com os alunos a importância deste debate”, ressaltou o professor Franclim Brito, coordenador do Direito Integral e reitor da EMGE.

Proficiência Acadêmica

Outro ponto discutido nas reuniões foi a Proficiência Acadêmica. O psicólogo Rogério Vieira, coordenador do NEP, apresentou os resultados obtidos no primeiro semestre. “Quero agradecer todos os professores que participaram. Sobretudo aqueles que enviaram questões para as avaliações da proficiência. A gente desenvolveu um trabalho muito bacana, nos moldes de concurso, com a prova e o acompanhamento em sala de aula. Vamos dar continuidade ao projeto neste semestre”, avaliou Rogério.

Caminhada e NDE

Em seguida, o professor Francisco Haas, pró-reitor de extensão, convidou o corpo docente para a quarta edição da Caminha Ecológica do Movimento Ecos, que será realizada no dia 21 de outubro. A concentração será na Praça da Liberdade, com percurso previsto até a Praça da Assembleia. “Esperamos reunir sete mil pessoas. Estamos com 29 escolas no Movimento este ano, desenvolvendo projetos de sustentabilidade. O auge deste trabalho será o dia 21”, informou Haas.

O pró-reitor também apresentou os resultados obtidos pelo Núcleo Docente Estruturante (NDE), com destaque para o desempenho dos alunos em simulados e avaliações parciais. “Segundo avaliação do Núcleo, é realmente importante que os alunos façam todas as avaliações. O êxito é muito maior”, destacou.

TCC

A reunião contou também com uma oficina sobre Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), ministrada pelos professores Mariza Rios e Márcio Luiz de Oliveira. Eles falaram sobre as mudanças implementadas no último semestre, como o novo manual ‘Dom da Produção Acadêmica’, disponível no site da Dom Helder, e a transferência da responsabilidade de correção do projeto de pesquisa para o professor orientador. “Agradeço a todos os professores, que levaram muito a séria essa nova incumbência. Devo dizer que foi difícil, mas extremamente prazeroso. Realizamos ainda oficinas voltadas para o corpo docente sobre a correção de projetos e como delimitar o tema problema”, lembrou Mariza Rios.

Prezi

O corpo docente acompanhou também uma oficina sobre a ferramenta Prezi, ministrada pelo professor Caio Lara. Sem esconder seu entusiasmo, Caio compartilhou dicas e truques que aprendeu durante três anos e meio utilizando o programa.

“Para mim, a grande sacada do Prezi é ser um software de computação em nuvem. O conteúdo fica online 24 horas por dia, para quem quiser trabalhar com ele. Não precisar carregar pendrive, é só fazer o login. Outra vantagem são as apresentações não lineares, que ativam a natureza associativa do cérebro. A câmera é dinâmica, colocamos imagens e cores. É como dirigir um filme”, destacou Caio.

Pró-reitorias

As reuniões contaram ainda com falas dos pró-reitores Sebastien Kiwonghi (Pós-Graduação) e Beatriz Costa (Pesquisa), e dos professores Luiz Chaves, coordenador do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) e Edmilson Ferreira, coordenador do Ensino a Distância. 

Fotos: Patrícia Azevedo / Patricia Almada / DomTotal