No sábado (2), o Núcleo de Ensino Personalizado (NEP), sob a coordenação do professor Rogério Vieira, promoveu a primeira reunião da Monitoria Acadêmica neste semestre. O local escolhido para sediar a atividade foi a Sala Modelo, no segundo andar, que integra as iniciativas da Escola para a implantação da nova metodologia de ensino.

Estavam presentes os demais membros da Comissão da Monitoria, o Vice-Reitor Professor Estevão D’avlia e a Pró-Reitora de Ensino professora Anacélia Santos, bem como os  convidados, professora Cláudia Madorna e professor Franclim Brito. O conteúdo da reunião versou sobre a nova metodologia de aula, antecipando aos monitores esta novidade que será lançada no Congresso do Conhecimento

No primeiro momento da reunião, o professor Rogério Vieira falou sobre o papel do monitor acadêmico, bem como apresentou as etapas de uma aula inspirada na Pedagogia Inaciana, para ao final de sua apresentação fazer uma retrospectiva das origens da Monitoria Acadêmica. “É a primeira vez, desde que a monitoria foi criada, que todas as turmas da Dom Helder têm  Monitor Acadêmico”. Esses monitores são contemplados com bolsas de estudo, que variam de 30% a 40% da mensalidade.

O professor Franclim, coordenador do Direito Integral, foi o responsável por apresentar a nova metodologia na reunião. Com o tema 'Inovações metodológicas no Ensino Superior: a Comunidade do Conhecimento', o professor ministrou uma 'aula modelo' sobre postura e ética no Ensino Superior.  Para tanto, se referenciou na filosofia kantiana segundo a concepção de Michael Sandel, filósofo norte-americano. Antes disso, refletiu sobre algumas problemáticas da educação em nosso tempo.

“Desde o início, a Dom Helder traçou uma identidade, optou por falar de um lugar próprio. Hoje é reconhecida pela excelência, que vem dessa busca pelo ‘magis’ proposto pela Pedagogia Inaciana. Ao completar 15 anos, a Direção da Escola se destaca mais uma vez, propondo uma releitura radical da metodologia de ensino”, apontou o professor Franclim Brito.

De acordo com o professor, a educação é a única área que permaneceu sem grandes inovações durante os últimos 200 anos, repetindo um modelo no qual o professor é visto como o detentor do conhecimento. “Hoje as informações estão disponíveis para qualquer pessoa, basta usar o Google, por exemplo. No entanto, poucas pessoas conseguem relacionar essas informações e dar sentido a elas, produzindo conhecimento. Esse é o papel que o professor terá a partir de agora”, afirmou Franclim.

Como resultado, o protagonismo discente terá ainda mais destaque: os estudantes serão responsáveis por 75% da aula, e o professor ficará com os outros 25%, exercendo a função de articulador. Franclim ressaltou novamente, como fez na reunião com os representantes, que a implantação da nova metodologia será gradual e acompanhada de avaliações periódicas, sempre considerando as demandas e sugestões do corpo discente.

“Contamos com três pilares nesta nova fase: a tecnologia, a pesquisa e a problematização do conhecimento. Além da Sala Modelo, teremos uma Sala Interativa no hall da Escola, estamos investindo na compra de notebooks, scanners e impressoras 3D. Quem sabe futuramente todas as salas de aula serão como esta?”, vislumbrou.

Por último, a professora Anacélia, Pró-Reitora de Ensino esclareceu as dúvidas dos monitores sobre a implantação da nova metodologia. Coube a Professor Estevão, Vice-Reitor da Dom Helder, celebrar formalmente a assinatura dos contratos com os monitores. 
 
Congresso

O professor Rogério Vieira reforçou o convite para que os estudantes participem do Congresso do Conhecimento, que marcará o lançamento oficial da nova metodologia, bem como fez o sorteio de várias inscrições do  evento para os monitores presentes.
 
Confira as fotos: