No próximo sábado, 17 de março, haverá o lançamento do livro ‘Filosofia, Direito e Linguagem: dos discursos de dominação aos discursos de esclarecimento’. O livro surgiu da união entre os grupos de iniciação científica (GICs) ‘Filosofia, Direito e Meio Ambiente’, coordenado pelos professores Émilien Reis e Marcelo Rocha, e ‘Direito, Linguagem e Poder’, coordenado pelos professores Enio Biaggi e Maria Carolina Reis. É composto por 14 textos de autoria dos professores e alunos, e traz prefácio da professora Anacélia Santos Rocha, Pró-Reitora de Ensino da Dom Helder.

De acordo com Marcelo Rocha, “o objetivo central da obra é compreender de que formas o poder se manifesta no discurso jurídico, bem como os impactos que ele acarreta na prática jurídica, nas decisões judiciais e no meio ambiente. Tendo como fundamento a interdisciplinaridade que permeia o Direito, adotamos a Filosofia e a Análise do Discurso como ferramentas para alcançar esse objetivo. O Direito é uma rica ciência cuja complexidade se baseia na constante interação entre os diversos discursos advindos de outras áreas do saber. Portanto, suas proposições somente se legitimam se partirmos do pressuposto de que o Direito não é uma realidade pronta e acabada, mas sim uma permanente construção coletiva discursiva. O papel da linguagem no Direito é indiscutível. No entanto, estudos mais sistematizados das interfaces entre o direito, a linguagem e os diversos contextos ainda são escassos e o livro pretende contribuir para o avanço das discussões sobre esse tema”.

Ainda, segundo o professor, “não teria sido possível conceber tal obra sem a compreensão de que o Direito é uma rica ciência cuja complexidade se baseia na constante interação entre os diversos discursos advindos de outras áreas do saber. Portanto, suas proposições somente se legitimam se partirmos do pressuposto de que o Direito não é uma realidade pronta e acabada, mas sim uma permanente construção coletiva discursiva”.

De acordo com a professora Maria Carolina Reis, “todos os trabalhos apresentados no livro são fundados na crença de que a iniciação científica é um importante passo para a formação de um profissional do Direito que seja reflexivo e consciente no que diz respeito aos problemas de seu tempo. Além disso, ela é o principal meio de promoção do protagonismo discente rumo a uma docência moderna e consciente, pois vemos na iniciação científica a oportunidade de formarmos profissionais do Direito que sejam capazes de criar, pensar, julgar e, sobretudo, propor soluções para os problemas que surgem na atualidade. A publicação de livros tem sido um excelente modo de fomentar a escrita acadêmica e a pesquisa no seio do grupo e, ao mesmo tempo, manter a comunidade acadêmica sempre a par do que estamos pesquisando, pensando e produzindo. Com o livro agora publicado, pretendemos promover reflexões acerca do poder e do impacto das palavras tanto no exercício do Direito quanto na natureza”.