Estudantes formularam perguntas sobre a Síndrome de Estocolmo.
 
Na última semana, três alunas da Dom Helder participaram de gravação para o programa ‘Pensamento Jurídico’, produzido pela TV Amagis. A parceria entre as instituições é articulada pelo professor Luiz Chaves, coordenador do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) da Escola.

De acordo com o professor, Síndrome de Estocolmo é o nome dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, passa a ter simpatia e até mesmo amizade perante o seu agressor. “Este termo teve origem em 1973, quando um assaltante manteve reféns sob a mira de uma metralhadora em um banco no centro da capital sueca”, conta Luiz Chaves.

Para o professor, nos dias atuais, devido à crescente onda de violência que se abate sobre a sociedade, cresce o coro daqueles que entendem que o Congresso Nacional tem desenvolvido uma espécie de Síndrome de Estocolmo, já que, gradativamente, tem aditado o contrato social de cláusulas benéficas para aqueles que furtam, roubam, estupram, sequestram e matam.

“Muitos entendem que até mesmo a Constituição Federal de 5 de outubro de 1988 garantiu aos autores de crimes comuns uma enorme gama de direitos, que contempla desde o direito à mentira até o de serem presos somente após o trânsito em julgado da sentença penal condenatória, formando um verdadeiro arsenal contra o dever de punir do Estado”, completa o professor.
 
Aprendizado
 
Para a aluna Anne Lima, do 5º período do Direito Integral, a gravação do programa Pensamento Jurídico é uma rica oportunidade para o aluno pesquisar profundamente acerca dos temas abordados, além de representar um exercício para a comunicação em público e frente às câmeras. 
 
“A Síndrome de Estocolmo, tema da gravação, é retratada na literatura, na TV e no cinema e, em virtude disso, as gravações auxiliam no desenvolvimento pessoal do estudante e no processo de maturação acadêmica, bem como aprimora a sua introdução no universo jurídico”, afirma Anne.

A colega Thiara Carvalhais Melo, do 5º período do Direito Convencional, também aprovou a experiência. “Achei interessante a participação no programa, uma vez que nos estimula a sair da zona de conforto e nos prepararmos para desafios relacionados a oratória no meio jurídico”, destaca Thiara.
 
Já a aluna Ana Luísa Ladeira deixa seus agradecimentos ao NPJ. “A experiência de participar da entrevista junto à TV AMAGIS foi imensurável, agradeço ao Núcleo de Prática Jurídica por me dar essa oportunidade de aprendizado profissional e educacional. O aprofundamento no tema Síndrome de Estocolmo e seus aspectos jurídicos foi sem dúvidas impulsionador”, afirma Ana.