Por Larissa Troian

Ao iniciar a trajetória de estudos para concursos públicos muitas dúvidas surgem. Como se organizar? Como estudar? Quantas horas a se dedicar aos estudos? Quais estratégias adotar? Quais técnicas de estudos utilizar? Quais erros precisamos estar atentos para não cometer? Foi pensando nisso que na manhã do último sábado (28) o Núcleo de Ensino Personalizado (NEP) promoveu o evento “Aprendendo com os aprovados em concurso público”.
Com coordenação de Adair Rocha e Claudia Madrona e participação aberta ao público, o evento reuniu mais de 200 pessoas na cobertura da Dom Helder.

A convidada Sophia Goreti, juíza do Tribunal de Justiça de Minas Gerais ministrou a palestra chamando mais cinco concursados para falar sobre suas experiências com as provas de concurso público: Jennefer Caldeira e Gabriel Ciríaco, delegados da Polícia Civil, Daniel Henrique e Lílian Lícia, juízes do Tribunal de Justiça de Minas Gerais e Dayane Cristina, técnica do seguro social.

Sophia iniciou o evento apresentando alguns prós e contras de ser concursado. Entre os prós estavam a remuneração atraente e o reconhecimento social. A juíza brincou que após ser aprovada no concurso, deixou de ser reconhecida como Sophia para ser chamada de “a juíza do TJMG”. Já nos contras, Sophia citou a possibilidade de mudança de cidade após a aprovação e o processo dificílimo da realização das provas. Para ela, conforme “a gente se prepara, estuda para os concursos ao longo do tempo, a gente se sente cada vez mais confortável para realizar as provas”. A juíza citou a fase da prova oral como talvez uma das mais difíceis de todo o processo: “O que deixa a gente aflito é ter que responder de ‘bate e pronto’, pois não somos acostumados com esse tipo de teste”.

O ex-aluno da Escola Superior Dom Helder Câmara, Gabriel Ciríaco, contou que nunca foi um aluno muito dedicado, mas que a tomada de decisão foi importante para alavancar os seus objetivos: “Na Dom Helder eu consegui construir fundamentos e base de cada ramo do Direito. Foquei no que eu queria e comecei a prestar as provas de concurso público. Foram incontáveis as reprovações, mas a aprovação chegou, e atuo como delegado da Polícia Civil há sete anos”. 

Para todos eles, é de suma importância que os concurseiros tenham persistência, resistência, foco, determinação e disciplina. "A gente chora após uma reprovação, mas logo surge outra oportunidade e novamente enfrentamos de cabeça erguida", frisou Sophia.

Os convidados abriram o evento para o público tirar dúvidas e debater sobre os processos do concurso, desde a decisão até a efetivação da prova. Logo após, os palestrantes finalizaram o evento com um recado: “Vai ser difícil, terão que abster de muitas e muitas coisas em prol dos estudos. Mas não desistam, vai valer a pena”.
Sophia Goreti falou sobre persistência e resistência.
Sophia Goreti falou sobre persistência e resistência.
Daniel Henrique, Lílian Lícia, Sophia Goreti e Gabriel Ciríaco estavam entre os convidados.
Daniel Henrique, Lílian Lícia, Sophia Goreti e Gabriel Ciríaco estavam entre os convidados.
O público lotou a cobertura da Dom Helder.
O público lotou a cobertura da Dom Helder.
Gabriel Ciríaco é egresso da Dom Helder e atua como Delegado da Polícia Civil há 7 anos.
Gabriel Ciríaco é egresso da Dom Helder e atua como Delegado da Polícia Civil há 7 anos.
Lilían Lícia falou sobre seu processo na efetivação das provas de concurso público.
Lilían Lícia falou sobre seu processo na efetivação das provas de concurso público.
Os palestrantes junto dos organizadores do evento.
Os palestrantes junto dos organizadores do evento.