Empenho dos alunos marca simulação do Tribunal de Júri

Com grande empenho e seriedade, os alunos do 1º período da Dom Helder realizaram, no último sábado (11), uma simulação do Tribunal de Júri sob a coordenação da professora Maria Carolina Reis. A turma da manhã foi responsável pela acusação, enquanto a turma da noite atuou na defesa do réu. “Os alunos estão começando o curso, ainda possuem pouco conhecimento jurídico. A ideia desta atividade não é trabalhar a técnica, e sim a argumentação, que estudamos no decorrer do semestre”, explicou Maria Carolina, que ministra a disciplina de Português.

De acordo com a professora, o roteiro elaborado seguiu os procedimentos de um tribunal real, com algumas adaptações. Quatro alunos puderam se pronunciar como advogados da defesa, e outros quatro, como promotores. Dois alunos atuaram como juízes e conduziram os trabalhos. “É uma experiência para a vida! Estou gostando bastante. Ter a chance de ser um dos juízes caiu como uma luva, porque meu pensamento é seguir a magistratura futuramente”, contou Jair Dias da Cruz, da turma D1MA. Segundo ele, o trabalho de preparação foi intenso. “No decorrer das aulas, montamos a sentença e falamos sobre o julgamento, com orientação dos professores”, completou.

O colega Rosalvo Henrique Cordeiro também destacou a oportunidade de vivenciar e aprender sobre diferentes profissões do Direito. “É magnífico [o trabalho]. Uma atividade lúdica, que visa proporcionar o aprendizado através do jogo, é muito interessante”, afirmou Rosalvo, que integrou a equipe de promotores. Na plateia, a mãe e o padrasto acompanharam o desempenho do aluno. “Neste ano, decidimos abrir para convidados, amigos, familiares. É uma forma de eles conhecerem um pouco do trabalho que desenvolvemos aqui na Dom Helder”, apontou a professora Maria Carolina.

Caso

O caso julgado pelos alunos durante a sessão foi uma tentativa de homicídio, que está sob a responsabilidade da 2ª Vara Criminal da Comarca de Santa Luzia. “O caso é real, não foi julgado ainda”, informou Maria Carolina.

“O réu tentou matar a vítima por ciúmes. Minha opinião é que houve sim a tentativa de homicídio. Vamos trabalhar para comprovar a materialidade e a autoria do crime”, afirmou Rosalvo Henrique, antes da sessão.

Já a aluna Ana Luiza Tolentino Amorim, da turma D1NA, estava um pouco apreensiva, por integrar a equipe de defesa. “O trabalho foi complicado, mas foi bom porque percebemos uma união maior da turma. É uma experiência boa, a gente aprende muito. Todo mundo está um pouco com os nervos a flor da pele, na esperança de ganhar. Vamos dar nosso melhor. O caso está bem difícil, mas a gente dá um jeito”, contou Ana Luiza.

E realmente deram. Ao final da sessão, o réu foi absolvido das acusações pelo corpo de jurados, formado por alunos de outros períodos, inscritos previamente.

Apoio

A atividade conta com o apoio do Centro de Simulação e Intercâmbio (CSI), da Pró-Reitoria de Ensino e de professores da Dom Helder.