Equipes se classificam para grande final do TJD-e

Quatros equipes se enfrentaram na tarde desta quinta-feira (16) na Dom Helder Escola de Direito em busca do prêmio máximo oferecido pelo Torneio Jurídico de Debates Estudantil (TJD-e): uma viagem para conhecer o Tribunal Internacional de Haia, na Holanda. O evento faz parte do Centro de Simulação e Intercâmbio da Instituição.

As equipes 1 ( Urick Soares e Pedro Ameno), 2 ( Pedro Vinícius Jaworoski e Gleiziane Antunes), 3 (Arthur José Vieira e Francisco Magno) e 6 (Daniele Cristina Horta e Débora Maria de Jesus) foram selecionadas para disputar ‘rounds’ sobre temas definidos. As equipes foram divididas em Dolo Eventual e Culpa Consciente. Os times classificados para a grande final, nesta sexta-feira, foram 6 e 1.

Confira o álbum de fotos!

Na disputa de hoje, cada equipe teve 10 minutos para apresentar sua tese. Ambas puderam fazer uma pergunta a outra equipe durante 1 minuto. Os times foram supervisionados pelos “juízes” do debate, os professores da Dom Helder Maurício Lopes, Michel Reiss e Virgínea Afonso. Eles fizeram apontamentos sobre o debate e votaram para eleger os vencedores.

Importância

Para o professor Renato Campos Andrade, um dos organizadores do evento, O TJD-e é oportunidade única na vida do estudante, que vai aprender sobre o júri de um tribunal e desenvolver habilidades como a oratória, raciocínio lógico e jurídico. “Essa simulação tem um viés ainda mais jurídico do que o Tribunal Regional Estudantil (TRI-e) e é para alunos de graduação a partir do 4º período. As simulações são importantes em todo mundo porque desenvolvem competências e habilidades que não se têm tempo e não consegue desenvolver em sala de aula. Fica aqui um incentivo grande para os alunos da Dom Helder e para todos os estudantes, especialmente para os que vão lidar com a área de humanas”, disse.

O professor destacou também o pioneirismo da Dom Helder em promover eventos deste porte. “A Dom Helder mais uma vez é pioneira nesse tipo de simulação porque faz internamente um torneio de debate. Selecionamos um termo jurídico e colocamos os estudantes para defender ambos os lados daquele tema. Com isso, desenvolvem-se os estudos, argumentação, habilidades e o lado do Direito”.

Sobre a viagem ao Tribunal Internacional de Haia, prêmio dado aos vencedores do TJD-e, Renato explicou que os estudantes terão uma experiência importante. “A Dom Helder dá um prêmio muito bacana, que é a viagem a Holanda para assistir o julgamento na Corte Internacional de Justiça. A experiência fará com que os estudantes vivenciem o Direito no seu mais alto nível que é o Direito Internacional, ligado aos Direitos Humanos. Obviamente ajuda na formação tanto profissional quanto a humana que é o que busca a instituição”, conta.

TDJ-e

O Torneio Jurídico de Debates Estudantil (TJD-e) é uma competição interna na qual são debatidas questões de grande controvérsia no direito. Visa perscrutar três questões hodiernamente em pauta nos Tribunais Superiores e em debates doutrinários de forma a esgotá-las, permitindo o acesso aos participantes esquadrinhar o conteúdo que lhe é apresentado inicialmente em sala de aulas.

Duplas formadas por discentes matriculados, ao menos, no quinto período devem ter conhecimento das questões apresentadas, sendo que somente saberão qual o tema discutido às vésperas das respectivas fases orais.

A competição é composta por sete fases, quais sejam: inscrição; homologação; pesquisa; saneamento; Rounds Classificatórios; Rounds Eliminatórios; e Round Final.