Programa de Intercâmbio UPenn: Divulgadas as Datas e Locais de Realização das Provas!

O Centro de Simulação e Intercâmbio vem, por meio deste, divulgar comunicado informando aos participantes do Processo Seletivo para o Programa “English Language and US Legal System Program – UPENN” das datas e locais de realização das avaliações, que podem ser conferidos no documento abaixo:

7ª Fase do TRI-e: Compareça à Final!

Encerrando a V Edição do Tribunal Internacional Estudantil, a 7ª fase da competição acontecerá no dia 20 de outubro, sábado, às 9 horas, no auditório da Escola Superior Dom Helder Câmara.

Aos finalistas

O CSI aproveita a oportunidade para convocar os finalistas para reunião instrutória para a próxima fase, na terça-feira, 16/10, às 16h40min, na sala 33 do Prédio II da Faculdade.

Além disso, torna público o Edital da última fase da simulação:

Empenho e qualidade técnica marcam apresentações da 5ª fase do TRI-e

Mais de 50 equipes defenderam suas teses perante as bancas de jurados.

A 5ª fase do TRI-e movimentou a Dom Helder no último fim de semana.

 

 

 

 

 

 

 

 

A 5ª fase do TRI-e movimentou a Dom Helder no último fim de semana. Foto (Patrícia Azevedo/Dom Total)

 

A Escola Superior Dom Helder Câmara acompanhou uma verdadeira maratona de Direito Internacional na última sexta-feira (28) e sábado (29), com as apresentações orais da 5ª fase do Tribunal Internacional Estudantil (TRI-e) 2018. Mais de 50 equipes classificadas defenderam suas teses perante as bancas de jurados, posicionando-se a favor ou contra ao desarmamento dos Estados detentores de armas nucleares, independentemente de serem signatários das Convenções internacionais que regulamentam o tema.

Devido ao grande número de participantes, os trabalhos foram divididos entre duas bancas. Os professores André de Paiva Toledo, Lorena Machado Bastianetto e Fernanda Rodrigues Guimarães avaliaram as equipes com parecer favorável. Uma delas foi a delegação de Fiji, que fundamentou seus argumentos na defesa do meio ambiente. “Fiji é favorável ao desarmamento porque tem esse lado do Direito Ambiental muito forte. As armas nucleares podem destruir os seres humanos, toda a biodiversidade marinha e terrestre, e nós somos contrários a isso. Fiji vive do meio ambiente, é algo cultural”, afirmou a aluna Isabela Araújo dos Anjos, que cursa o 2º período na Dom Helder.

Já a equipe da Síria defendeu tese contrária ao desarmamento. “Somos contra o desarmamento nuclear, tendo em vista as questões políticas que o país vive. A Síria virou palco de conflitos, sofreu ataques e precisa proteger a população, o que torna esse armamento necessário”, argumentou o estudante João Guilherme de Moura Oliveira, que cursa o 2º ano do Ensino Médio no Coleguium Integral. A equipe foi avaliada pelos professores Marcelo Kokke, Luiz Gustavo Levate e Silvia Teixeira, assim como as demais que apresentaram parecer contrário. Ao final, os professores parabenizaram todas as equipes pelo empenho e a qualidade dos trabalhos.

“Muitos de vocês estão no segundo grau, venceram o medo e a insegurança, se colocaram perante professores de Direito. Isso é muito importante, só tem a acrescentar. Da mesma forma, os alunos da Dom Helder mostraram seus conhecimentos, se expuseram às críticas. É assim que a gente cresce. Em momento nenhum eu gostaria que vocês desanimassem. Todos nós passamos por momentos de insegurança, erramos. Aproveitem a estrutura da Escola, as atividades do CSI, existem várias além do TRI-e. Isso só engrandece o aprendizado”, ressaltou Luiz Gustavo Levate.

Os trabalhos foram coordenados pelo Centro de Simulação e Intercâmbio (CSI), responsável pela atividade.

Oportunidade

Quando participou do TRI-e pela primeira vez, em 2016, Isabela Araújo dos Anjos cursava o ensino médio no Colégio Batista e integrou a equipe da Índia. O tema em debate foi a reforma no Conselho de Segurança da ONU. “Isso certamente influenciou a minha vinda para a Dom Helder, eu me encantei com a Escola! Tanto que eu só fiz vestibular para cá”, contou Isabela.

A estudante está hoje no 2º período de Direito convencional e aproveitou para participar novamente da simulação. “O TRI-e é uma boa oportunidade para melhorar a oratória, ampliar nosso conhecimento. Às vezes ficamos limitados àquilo que as aulas trazem para gente, e o TRI-e fornece esse conhecimento extra, que ajudou inclusive na minha redação no Enem. É muito bom”, apontou Isabela.

O aluno João Guilherme, do Coleguium Integral, também aprovou a experiência. “Nós gostamos muito da geopolítica, gostamos muito de debater, isso nos constrói como ser humano. É uma oportunidade muito legal estar aqui, expor nossos pontos de vista, ver que fizemos um bom trabalho. Hoje ficamos nervosos, com o coração acelerado. Estar de frente para uma bancada de professores do Direito não é fácil, mas esperamos passar para a próxima fase”, afirmou João.

Câmara de Julgamento

Seis equipes serão classificadas para a 6ª fase do TRI-e, que ocorrerá neste sábado (6). Os resultados serão divulgados em breve, acompanhe!

Patrícia Azevedo/Redação Dom Total