Pular para o conteúdo
h2 class="titulo-posts">Categoria: Notícias


Processos seletivos movimentam sábado na Dom Helder

Candidatos realizaram provas para cursos de graduação, Direito Integral e pós-graduação

A Dom Helder promoveu neste sábado (3) processos seletivos presenciais para os cursos de graduação, Direito Integral e pós-graduação, com ingresso no primeiro semestre de 2023.

O vestibular para os cursos de graduação em Arquitetura e Urbanismo, Ciência da Computação, Direito e Engenharia Civil consistiu em uma prova de redação sobre a preservação da Amazônia, com valor máximo de 1.000 pontos.

A estudante Bruna Luiza de Freitas, que cursa o 3º ano do ensino médio no Sesi Mariza Araújo, compareceu à Dom Helder para fazer a redação em busca de uma vaga no curso de Direito. “Pesquisei sobre a instituição e gostei bastante da sua história, vi que é bem-conceituada. Espero que dê certo”, afirmou Bruna.

Os candidatos receberão o resultado do processo seletivo por e-mail ou por meio da consulta na área do processo seletivo, no dia 7 de dezembro. A matrícula presencial será nos dias 9 e 10 de dezembro. O processo seletivo com ingresso pela redação on-line ou utilização do Enem segue aberto, saiba mais!

Direito Integral

Além da redação, os candidatos ao Direito Integral realizaram, neste sábado (3), questões objetivas de Língua Portuguesa, Literatura, História, Geografia, Matemática e Língua Estrangeira. Todos devem ainda preencher formulário eletrônico até segunda-feira (5), para a obtenção e a determinação do percentual de bolsa de estudo. O resultado final será divulgado no dia 12 de dezembro, com matrícula presencial nos dias 15 e 16 de dezembro.

A estudante Maria Teresa Ribeiro, que cursou o ensino médio no Colégio Loyola, foi uma das primeiras a chegar na Dom Helder neste sábado (3), em busca de uma vaga para o Direito Integral. Ela conheceu a instituição por meio da divulgação do Tribunal Internacional Estudantil (TRI-e), promovido anualmente pela Dom Helder. “Isso despertou meu interesse e comecei a pesquisar”, contou Maria Teresa. A estudante também citou a parceria entre o Loyola e a Dom Helder, ambos parte da Rede Jesuíta Internacional, e a qualidade do ensino. “Eu sei que é uma instituição muito boa, a confiança foi essencial para a escolha”, completou.

Para o estudante Gabriel Antônio, do 3º ano do Colégio Losango, o conceito máximo da Dom Helder no Ministério da Educação (MEC) e a indicação de um amigo despertaram o interesse para realizar o processo seletivo. Ele escolheu o Direito Integral e pretende, futuramente, prestar concursos públicos.

De acordo com a professora Ana Virgínia Gabrich Fonseca, do Direito Integral da Dom Helder, é sempre uma grande alegria receber os futuros alunos na instituição para o processo seletivo. “Será a primeira turma a ingressar após a fusão da Dom Helder e EMGE, as expectativas são as melhores”, afirmou a professora, que integrou a comissão organizadora do vestibular.

Pós-graduação

Também neste sábado (3), a Dom Helder promoveu processo seletivo para os cursos de mestrado e doutorado em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, do Programa de Pós-Graduação da Dom Helder. Na parte da manhã, os candidatos realizaram a prova de idiomas, e no período da tarde, a prova dissertativa.

A estudante Clara Sacramento Alvarenga, que cursa o 10º período de Direito na Dom Helder, foi uma das candidatas que prestaram as provas para o mestrado. Segundo ela, o Direito Ambiental chamou a sua atenção desde o início da graduação. “Ao cursar a disciplina, a minha paixão aumentou. A minha meta de vida é ser uma excepcional profissional na área ambiental, e lecionar aqui na faculdade”, disse a estudante. Para tanto, ela acredita que será de grande valor cursar também o mestrado na Dom Helder –  “a melhor faculdade de Direito Ambiental que Minas Gerais tem”. Entre as qualidades da instituição, ela destacou a infraestrutura de ponta e a qualidade do ensino.

Desejamos muito sucesso a todos os candidatos!

Confira a agenda de bancas do Direito Convencional para dezembro

Confira abaixo a agenda de bancas do Direito Convencional para dezembro. Os alunos que assistirem às bancas ganham 1h de atividade complementar na área de Ensino/Pesquisa.

BANCAS CONFIRMADAS DIREITO CONVENCIONAL 2022/2

06/12 às 10h – SALA 23 (Prédio 2)
Aluno: Bernardo Máximo Munayer
Orientador: Newton Teixeira Carvalho
Tema: A ressignificação da propriedade pela usucapião extrajudicial
Avaliador: Humberto Gomes Macedo

06/12 às 17h30 – SALA 82 (Prédio 1)
Aluno: Yavenni Ashner Caldeira de Paula
Orientador: Marcelo Baltar Bastos
Tema: Subordinação Algoritmica: O controle das relações de emprego por meio de aplicativos e o uso do método “dumping social”
Avaliador: Thiago Loures Machado Moura Monteiro

07/12 às 10h – SALA 23 (Prédio 2)
Aluno: Luiza Gomes Pantolfo Faria
Orientador: Pedro Eliezer Maia
Tema: A controvérsia da natureza jurídica dos planos de PGBL e VGBL frente a tributação de ITCD sobre o patrimônio da herança
Avaliador: Luciano Costa Miguel

07/12 às 11h30 – SALA 82 (Prédio 1)
Aluno: Sarah Amorim Fidelis
Orientador: Michel Wencland Reiss
Tema: Desumanização da mulher na violência de gênero
Avaliador: Enio Luiz de Carvalho Biaggi

07/12 às 13h45 – SALA 82 (Prédio 1)
Aluno: Hariel Silva Ribeiro
Orientador: Camila Menezes de Oliveira
Tema: A Reavaliação discricionária da base de cálculo do ITBI praticada pela prefeitura de Belo Horizonte – MG
Avaliador: Luiz Gustavo Levate

07/12 às 14h45 – SALA 82 (Prédio 1)
Aluno: Lyon Raphael Lopes Antunes
Orientador: Camila Menezes de Oliveira 
Tema: Imunidade tributária dos templos de qualquer culto: Limites da não incidência de IPTU nos imóveis de entidades religiosas
Avaliador: Luiz Gustavo Levate

07/12 às 17h – SALA 82 (Prédio 1)
Aluno: Ana Victória Fuscaldi dos Santos
Orientador: Maraluce Maria Custódio
Tema: Moda e sustentabilidade
Avaliador: Luis André de Araújo Vasconcelos

14/12 às 10h – SALA 23 (Prédio 2)
Aluno: Rafaela Fátima Magalhães Barros
Orientador: Mariza Rios
Tema: Agroecologia: estudo de caso na cidade de Visconde do Rio Branco, Zona da Mata Mineira.
Avaliador: João Batista Moreira Pinto

Movimento Ecos celebra destaques de 2022

O Movimento Ecos promoveu, no último sábado (26), uma bonita e emocionante festa para marcar o encerramento das atividades de 2022 e premiar as instituições que se destacaram nas atividades propostas no decorrer do ano. A Escola Estadual Maria de Lourdes de Oliveira foi a grande vencedora do Festival de Dança Ecos 2022. Já o estudante Arthur de Paula, do Colégio Eccellente, conquistou o primeiro lugar no concurso Redige-Ecos. O evento, realizado no auditório da Dom Helder, também premiou as escolas que participaram do projeto Socioambiental e entregou as certificações da Pegada Ambiental.

Confira os resultados completos ao final da notícia!

O discurso de abertura foi proferido pelo vice-reitor da Dom Helder, professor Franclim Brito, que representou o reitor Paulo Stumpf SJ. “É uma enorme satisfação ver tantos jovens, em um sábado de manhã, em prol de uma causa tão nobre, que é promover a sustentabilidade e a continuidade da nossa vida no planeta que habitamos”, afirmou Franclim. O vice-reitor também lembrou o momento de grandes transformações vivido pela Escola em 2022, com a fusão da Dom Helder e EMGE, e o lançamento de cinco cursos tecnólogos para o próximo ano.

O professor Francisco Haas, pró-reitor de Extensão da Dom Helder e coordenador do Movimento Ecos, falou sobre o desafio de retomar as atividades do Movimento Ecos de forma presencial, em 2022, e a alegria em levar o projeto para mais de 300 instituições de ensino médio, das redes pública e privada, contribuindo para o desenvolvimento da Escola Sustentável em Minas Gerais. “Gratidão às 203 instituições que se credenciaram neste ano e participaram das atividades. Aproveito também para lembrar uma nova e importante parceria – o credenciamento nas Trilhas do Futuro para a formação de servidores nos cursos de doutorado, mestrado e especialização em Educação Ambiental da Dom Helder”, apontou Francisco Haas. O professor anunciou ainda que a renovação da cooperação técnica com a Secretaria de Estado de Educação (SEE/MG), para o período de 2023 a 2028, está em sua etapa final.

Para a subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica da SEE/MG, Izabella Cavalcante Martins, a renovação da parceria é motivo de grande alegria. “Agora em uma perspectiva de ampliação, para o atendimento a mais municípios, e um número maior de escolas e estudantes, que vão ter a oportunidade de participar de tantas atividades que foram tão importantes para todos. (…) Agradeço e parabenizo a Dom Helder pelo empenho e compromisso na efetivação e continuidade da parceria”, destacou Izabella.

Também discursaram a professora Leila da Silva Miranda, da E. E. Pedro II, representando as escolas estaduais; o professor tenente Márcio Magalhães Mangabeira, da Rede Tiradentes de Ensino; a professora Aline Campos Figueiredo, do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) – Campus Sabará; e Simone Novaes, do Sistema Piaget de Ensino. O evento contou ainda com a presença da deputada estadual Ana Paula Siqueira e do vereador José Ferreira, além de estudantes, professores e diretores das escolas parceiras e integrantes da comunidade acadêmica da Dom Helder.

Festival de Dança

O 3º Festival de Dança do Movimento Ecos contou com 73 equipes participantes em 2022, das quais cinco foram classificadas para a grande final do último sábado (26). A Escola Estadual Três Poderes realizou apresentação especial para a abertura da competição, seguida pelas performances das cinco equipes finalistas. Confira abaixo os resultados:

Redige-Ecos

O concurso Redige-Ecos deste ano recebeu mais de 10 mil redações, elaboradas por estudantes de 102 escolas. Os 15 melhores foram premiados no último sábado (26), confira:

Projeto Socioambiental

O Movimento Ecos, através do Projeto Socioambiental, tem por missão apoiar e incentivar a disseminação e a multiplicação da Educação Ambiental por meio de ações socioculturais e socioambientais nas instituições de ensino básico, promovendo uma programação diversificada e participativa, bem como o acesso à educação no nível superior por meio de bolsas de estudos concedidas pela Dom Helder. As escolas com os três melhores desempenhos ao longo de 2022 foram:

Pegada Ambiental

A III Certificação da Pegada Ambiental buscou estruturar nos educandários um projeto de Educação Ambiental com base na análise do uso, consumo e descarte dos recursos ambientais no seu espaço, tendo por base os indicadores desenvolvidos pelo “Grupo de Iniciação Científica do Movimento Ecos” e legitimar essa participação com os selos de “Menção Honrosa, Cobre, Bronze, Prata, Ouro, Platina e Diamante”. Confira as 15 escolas certificadas em 2022:

Fotos FESTA SOLENE ECOS 2022:

Missa dos Quilombos é celebrada pela Dom Helder

No último sábado (19), a Dom Helder promoveu uma celebração dos 40 anos da Missa dos Quilombos, por ocasião do Dia Nacional da Consciência Negra. Além de celebrar a vida afro-brasileira, a missa foi uma ação de graças pelo 80° aniversário de Milton Nascimento, compositor musical da Missa dos Quilombos. 

Presidida pelo Pe. Kiwonghi Bizawu, a missa teve como concelebrantes o Pe. Áureo Nogueira, Pe. Carlos Henrique, Pe. Eduardo Severino, Pe. Marcelo Aquino e o reitor Pe. Paulo Stumpf. Ela contou também com a participação do grupo Tizumba – Tambores de Minas e a presença dos colaboradores, docentes e discentes da Dom Helder, membros dos conselhos e representantes de grupos afro-descendentes de Belo Horizonte.

A Dom Helder agradeceu pela vida de tantos irmãos descendentes e pela vida e obra de Milton Nascimento. Também pediu a Deus para que, após a pandemia de tantos desafios, possamos todos caminharmos juntos, construindo relações humanas, fraternas, verdadeiras e justas. Em seguida, o público participou da procissão de entrada da Missa criada por Pedro Casaldáliga, Pedro Tierra e Milton Nascimento.

Milton Nascimento escreveu uma carta especialmente para este evento, e foi lida por Tizumba. “Fico muito contente e agradecido pela celebração dos Quilombos e que vocês lembraram do meu aniversário. Gostaria de dizer que lembro com carinho do show do centenário do nascimento de Dom Helder Câmara, em 2009, promovido pela Escola Superior. A Missa dos Quilombos marcou profundamente a minha vida e ainda aquece o meu coração o momento emocionante em que Dom Helder invocou Mariama”, escreveu Milton.  

A missa seguiu com o ato penitencial, procissão com a bíblia, e a liturgia da palavra, permanecendo todos de pé para receber a palavra de Deus. 

No momento de partilha do evangelho, foi convidado para compartilhar a palavra o artista Jorge dos Anjos. “Nós temos uma história de luta, temos a todo tempo que sermos guerreiros. Eu ficaria muito feliz se um dia não precisássemos sermos guerreiros a todo tempo. A luta constante é muito cansativa”, expressou.

Sob um olhar feminino de experiência, a professora Helen Almeida, mulher preta e ativista em Direitos Humanos, proferiu uma forte mensagem sobre sua trajetória e reconhecimento da identidade afro-descendente. Ela disse: “A minha chegada na Dom Helder, há 6 anos, coincide com meu processo de resgate do ser. É exatamente este o tempo da minha vida que sei quem eu sou, mas, mais do que isso, eu gosto de ser quem eu sou. Foram duas mulheres dessa Escola que me ajudaram a me reencontrar”. Helen contou que percebeu nesta curta e importante trajetória que havia um espaço que precisava ocupar. “Ocupar este lugar me fez perceber a necessidade de aprofundamento no letramento racial, e, quanto à este processo, preciso publicamente atribuir o mérito às nossas alunas e alunos, que pela luta diária, pela militância e suas experiências, me mostraram a importância e a responsabilidade do lugar que eu ocupo. E, apesar de ser sobre mim, é também sobre nós. Ocupar este lugar me fez ir atrás das minhas raízes”, completou. 

O Pe. Kiwonghi mencionou que a liturgia da palavra da Missa dos Quilombos nos faz contemplar a utopia do reino de Deus, ou seja, o sonho que nos anima, que nos faz caminhar em direção a um mundo mais feliz, solidário e justo, em que as pessoas sejam respeitadas.

Em seguida, foram apresentadas a Deus as ofertas, levadas pelos representantes de diferentes matrizes africanas e simbolizando os frutos do trabalho dos escravos. Após realizado o Ofertório e momento da oração eucarística, o Pe. Paulo manifestou a alegria de reunir todos na celebração da Missa dos Quilombos. Ele saudou, com especial afeto, os pais de santo representando suas comunidades candomblés, as paróquias e as comunidades eclesiais presentes. Saudou também Mário Miranda, companheiro da Escola na defesa e promoção dos direitos humanos, e demonstrou carinho ao grupo Tizumba.

Em nome da comunidade acadêmica, o reitor Pe. Paulo convidou o vice-reitor Franclin Brito acompanhado da família, para anunciar que a Dom Helder estará lançando um movimento de advogados a favor dos afro-mineiros e de combate ao racismo. Este movimento irá acompanhar todas as denúncias de racismo, junto ao Ministério Público, e exigir apuração e punição. “Não podemos aceitar como normal o que tem acontecido no Brasil nos últimos anos. A Dom Helder Câmara, fiel ao seu patrono, quer dizer publicamente: não aceitaremos nenhum tipo de discriminação. Não se trata de somente respeitar como se fosse tolerar. Aqui iremos valorizar as diferenças culturais, raciais, étnicas, políticas, sexuais e de orientação sexual”, informou o reitor. Ele anunciou também que, a partir do próximo ano, irá priorizar a contratação de docentes e colaboradores afro-mineiros. O intuito destas decisões é para que possamos assim, juntos, construirmos um ambiente melhor, resgatarmos a alegria de nos encontrar, a coragem de irmos para as ruas e manifestarmos como uma família universal de Deus.

Há 40 anos, na Missa dos Quilombos, Dom Helder Câmara proferiu uma oração de invocação à Mariama, Nossa Senhora Aparecida. Para relembrar este memorável momento, unidos à voz de Dom Helder, em profundo silêncio, os fiéis fizeram uma oração em saudação à Mãe. 

Encerrando o evento, todos foram convidados a saborear a mesa da partilha com petiscos da culinária brasileira. 

A celebração dos 40 anos da Missa dos Quilombos e 80 anos de Milton Nascimento foi uma iniciativa da direção da Dom Helder, por meio do reitor e vice-reitor, com o grupo de pesquisa Afrodom e jesuítas, e pela professora Mariza Rios, com o apoio de todas as pró-reitorias da Escola. A professora contou que deseja que este encontro fortaleça os laços de amizade, a fim de que possamos prosseguir contribuindo para a conquista de uma sociedade mais fraterna e sem discriminação e preconceitos. 

O Pe. Kiwoghi, presidente da Missa e pró-reitor da Dom Helder, disse que a importância desta comemoração nos proporcionou momentos de esperança para um Brasil melhor, nos fazendo lembrar o sofrimento dos nossos antepassados pretos, mas também tendo o olhar para um futuro melhor. “Celebramos a esperança de dias melhores em uma sociedade onde temos ainda as desigualdades sociais, sobretudo, o desemprego dos afrodescendentes e a falta de oportunidades em um país onde temos tantas injustiças. Queremos abrir sempre o caminho da esperança”, finalizou.

Consciência Negra: Dom Helder anuncia iniciativas em seminário

A Dom Helder anunciou, na última sexta-feira (18), o lançamento de um movimento de advogados para a defesa dos direitos raciais e combate ao racismo. Anunciou também um programa para ampliar a contratação de professores e funcionários afrodescendentes. As informações foram divulgadas pelo professor Paulo Stumpf SJ, reitor da Dom Helder, durante o II Ciclo de Palestras em Comemoração do Dia da Consciência Negra, promovido por meio do Centro de Estudos Afro-Brasileiros (Afrodom).

Em seu discurso de abertura, o professor Paulo Stumpf SJ lembrou o momento vivido atualmente, de grandes desafios políticos, expectativas e incertezas em função da pandemia de Covid-19, e espantosas violações aos Direitos Humanos. Lembrou também as iniciativas da Dom Helder, já consolidadas, na área de inclusão social, como a concessão de bolsas de estudos. “Mas queremos fazer mais”, ressaltou Stumpf.

De acordo com o reitor, o movimento de advogados para a defesa dos direitos raciais e combate ao racismo atuará acompanhando o Ministério Público nas apurações, denúncias e responsabilizações por crimes raciais. “Infelizmente, nós constatamos que esses crimes vão sendo esquecidos. Nós precisamos reagir. A Dom Helder, inspirada em seu patrono, quer e pode dar essa contribuição”, afirmou. Da mesma forma, ressaltou a importância do programa para ampliar a contratação de afrodescendentes na Dom Helder.

Para a deputada estadual Ana Paula Siqueira, presidenta da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, as relevantes iniciativas anunciadas deixam evidentes o compromisso e a importância da Dom Helder para Minas Gerais. “Se todas as instituições tivessem a coragem e o compromisso que a Dom Helder manifesta… Não só em abrir esse espaço para discussão, com o Afrodom, trabalhando ativamente, como com essas iniciativas que eu espero que sejam copiadas estado a fora”, disse Ana Paula. A deputada foi uma das convidadas para o evento e abordou, em sua palestra, a representatividade como chave de transformação social.

O II Ciclo contou também a participação da professora Mariza Rios, da Dom Helder, com palestra sobre comunidades quilombolas e garantias territoriais na América Latina, e do pesquisador Pedro Andrade Matos, que falou por videoconferência diretamente de Cabo Verde. As atividades foram mediadas pela professora Helen Cristina de Almeida Silva.

Coube ao professor Sebastien Kiwonghi Bizawu, coordenador do Afrodom, proferir as palavras de agradecimento e encerramento. “A resistência é uma luta. É a partir da resistência que chegamos à democracia. (…) Queria ressaltar uma coisa do que foi dita – a Dom Helder realmente tem um programa de inclusão muito bonito”, afirmou Kiwonghi.

Confira abaixo vídeo e fotos do evento:

 

Dom Helder conquista 1° lugar no Minascon, grande evento de construção civil no país

No último fim de semana (17 a 19), os estudantes de Engenharia Civil e Arquitetura da Dom Helder conquistaram o 1º lugar no Desafio de Sustentabilidade na Construção Civil, do Minascon.

A 19ª edição do Minascon, um dos mais importantes eventos da construção civil no país, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), teve como temática “Construções Verdes e Cidades Inteligentes”, com debates, feiras e palestras em Poços de Caldas. O encontro reuniu empresas do setor, além de órgãos como Crea, Sinduscon, BDMG, entre outros.

Na etapa final do Desafio de Sustentabilidade na Construção Civil, a Dom Helder foi representada pela professora Juliana Mascarenhas e por estudantes de Engenharia Civil e Arquitetura. O objetivo do desafio foi encontrar as melhores soluções sustentáveis e inovadoras para reduzir impactos socioambientais e promover a viabilidade econômica e a melhoria da qualidade de vida dos empregados do setor. Ou seja, contemplou o tripé que contextualiza a sustentabilidade: meio ambiente, economia e sociedade. Nossa equipe alcançou o pódio com a proposta “Uso de bioconcreto com inserção de chorume e necrochorume em pavimento rígido”.

Para chegar ao resultado, a professora Juliana contou que, em uma pesquisa inicial, verificou que a Biomimética, Biotecnologia, Cidades Inteligentes e Tecnologia, em especial a metodologia BIM, são algumas ferramentas importantes para reduzir os impactos causados pela construção civil. Para a questão das Cidades Inteligentes, achou que seria de grande relevância ter um aluno de Arquitetura. E assim, a composição da equipe foi:

Professora Juliana Mascarenhas – Orientadora 

Gabriela Soares Barbosa – Eng. Civil

Tamires Cristiane R. Silva – Eng. Civil

Victoria Camylle X. Oliveira – Arquitetura 

Paulo Wataru Diniz Araki – Eng. Civil

A ideia inicial da proposta era trabalhar com infra-estrutura utilizando concreto rígido. O concreto rígido seria composto por bactérias capazes de precipitar a calcita e promover o fechamento de trincas, evitando o retrabalho e aumentando a durabilidade da estrutura. Mas o Bioconcreto (concreto + bactérias) pode ser feito com bactérias do chorume e do necrochorume, contribuindo para a utilização de fluidos nocivos ao meio ambiente. 

O fato de utilizar concreto rígido em rodovias sem nenhuma estrutura já contribuiu para o crescimento dos municípios no contexto de cidades inteligentes. A aluna Gabriela Soares Barbosa explicou que as bactérias biomineralizadoras presentes no chorume e necrochorume precipitam minerais que fecham as manifestações patológicas, evitando patologias, trazendo mais durabilidade à construção, dureza e economia a longo prazo. Além disso, causam um impacto positivo ao meio ambiente por agregar valor aos compostos que agridem os lençóis freáticos, atmosfera e solo. “Conseguimos provar a viabilidade técnica e provamos isso à banca com um demonstrativo real da obra utilizando a metodologia BIM. Além disso, conseguimos conciliar o conceito de cidades sustentáveis aplicando o demonstrativo em um local real na sub-região do sertão nordestino”, completou. 

Os competidores da Dom Helder contaram com a ajuda dos professores José Antônio, Izabel, Aline e Claudio Pessoa. Também realizaram pesquisas aprofundadas, muitas reuniões, conversas com professores especialistas e orientandos de TCC. Juliana disse: “Uma das pontuações era exatamente a inovação. Então buscamos ideias já existentes e verificamos a possibilidade de juntar esses conteúdos na expectativa de propor um projeto inovador”.

Como 1° lugar, nossa equipe foi premiada com o valor de 5 mil reais e a publicação de uma matéria nos canais do Sistema FIEMG.

A professora Juliana comentou que a experiência da orientação foi fantástica e completou: “Não orientei sozinha, orientei com toda a Dom Helder. Meu maior retorno foi ouvir dos alunos que estavam vendo o quanto a Engenharia é importante e em quantas áreas eles podem atuar”.

A competidora Gabriela também teve uma grande e emocionante experiência. “Não foi somente pelo reconhecimento graças ao nosso esforço, mas também por representarmos a Dom Helder. Esse é o primeiro passo para a visibilidade da faculdade que até então, era reconhecida por seu curso de Direito, mas agora também provamos que vale ingressar nos cursos de Arquitetura e Engenharia”, afirmou.

Outras participações no Minascon 

Além do Desafio de Sustentabilidade na Construção Civil, estudantes da Dom Helder participaram do concurso “A ponte – Minascon”, no qual os protótipos construídos pelas equipes, utilizando apenas palitos de picolé de madeira e cola branca, passaram por testes de carga crescente para a análise do desempenho das estruturas.  

A Dom Helder foi representada pelos estudantes Phellipe Fernandes Gomes e Bruno Luís Marques Soares, com o apoio da professora Patrícia Barbosa. Eles competiram com outras 22 duplas.  

“Eu e o Bruno vimos uma oportunidade de colocar em prática nossos conhecimentos de Engenharia para a construção de uma ponte de palito de picolé, seguido os moldes da própria competição que a Dom Helder nos proporciona. Foram 10 horas ininterruptas de construção. Não conseguimos ganhar a competição, mas o aprendizado foi muito grande e estou feliz por ter participado!”, contou Phellipe Fernandes.  

A professora Patrícia Barbosa também palestrou na tarde de sexta-feira (18), no auditório do Palace Casino, sobre o tema “Controle tecnológico e durabilidade nas edificações: uma visão à luz da norma de desempenho”. 

O engenheiro Ricardo Fabel, mestrando em Direito Ambiental pela Dom Helder, palestrou na manhã de sábado (19), no mesmo local, sobre o tema “ESG – O caminho para o sucesso dos empreendimentos”. 

A Dom Helder contou também com estande no evento, preparado com o apoio do Centro de Simulação e Intercâmbio (CSI).

 

Monitoria se reúne para avaliar Pedagogia Inaciana

No último sábado (19) a Monitoria Acadêmica da Graduação do Direito se reuniu para avaliar os aspectos pedagógicos da Pedagogia Inaciana (PI) da Dom Helder.

Dentre às categorias avaliadas estão os passos de uma aula baseada na PI e a eficácia dos seus resultados. Após a reunião, os(as) monitores(as) participaram da Missa dos Quilombos, em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra.

Movimento Ecos: Vestibular presencial e formulário de bolsas

Para a comunidade acadêmica conhecer um pouco sobre os projetos, periodicamente os integrantes do Movimento publicam matérias sobre as atividades desenvolvidas por eles e oportunidades oferecidas pela Dom Helder. Confira o texto sobre o vestibular e formulário de bolsas.

DOM HELDER REALIZA VESTIBULAR PRESENCIAL E ABRE O FORMULÁRIO DE BOLSAS DE ESTUDOS PARA ALUNOS E PROFESSORES PARTICIPANTES DO MOVIMENTO ECOS EM 2022

Estabelecendo o compromisso social firmado com as escolas integrantes do Movimento Ecos, a Dom Helder organiza o processo seletivo 2023/1, promovendo a possibilidade dos jovens estudantes ingressarem no curso superior com bolsas de estudo de até 90%. Neste ano, são mais de 200 escolas cadastradas nos projetos e que vêm recebendo visitas da equipe do Ecos para a realização do processo seletivo.

Vários jovens têm no Movimento Ecos a esperança para realizarem o sonho de ingressarem em um curso superior e é de total satisfação e alegria podermos contribuir e compartilhar esse momento com eles. A inscrição para o processo seletivo na Dom Helder será até o dia 30 de novembro e os cursos ofertados são: Direito, Engenharia Civil, Ciência da Computação e Arquitetura e Urbanismo.

A Dom Helder prima por um ensino de excelência. Com uma infraestrutura altamente especializada, procura sempre inovar tecnologicamente e, sobretudo, manter os princípios sustentáveis, conservando o seu ideal e o compromisso com os alunos e a sociedade, por meio de ações que incentivam e visam a implementação da Educação Ambiental. Exatamente por isso, ciente da importância da responsabilidade socioambiental, o Movimento Ecos, através das bolsas de estudo oportunizadas, abre as portas para a carreira profissional e a formação educacional dos seus apoiadores.

Para tanto, os alunos e professores das escolas parceiras do Movimento Ecos têm a opção de realizar o processo seletivo online ou de forma presencial, na própria escola parceira, até o dia 25 de novembro. Para agendamento da realização da prova presencial o professor/diretor responsável pela instituição deverá agendar com o professor nucleador ou bolsista vinculado à sua escola.

Com isso, o Ecos visa facilitar o acesso dos alunos à realização do vestibular, implementando uma nova ética ambiental, apoiando ideias inovadoras que incentivam a sustentabilidade e o compromisso social.

Recomendação: uso de máscaras a partir de 21/11

Conforme orientações da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), a Dom Helder recomenda o uso de máscaras nas dependências da Escola a partir de segunda-feira (21/11), assim como atenção aos cuidados de prevenção à Covid-19.

Os dados epidemiológicos atuais mostram uma tendência de aumento de casos de Covid-19 em Belo Horizonte, o que pode estar associado à circulação de novas variantes.

Vamos continuar nos cuidando e contribuindo com a saúde do próximo!

Confira abaixo o documento completo:

NOTA INFORMATIVA PBH

Tribunal do Júri Simulado encerra período de aulas do semestre

Na quinta e sexta-feira (17 e 18) desta semana, as turmas do 1° período do Direito participaram do Tribunal do Júri Simulado (TJS), organizado pela professora Maria Carolina Reis e pelo CSI, da Dom Helder.

No dia 17, os estudantes da turma D1MC simularam o julgamento de uma mandante de homicídio, com os grupos divididos entre acusação e defesa. Na simulação, a ré foi condenada.

No dia 18, a turma D1MA foi dividida em grupos de acusação e defesa, e simulou o julgamento de um caso de homicídio qualificado tentado. O réu foi absolvido.

Os professores Lícia Neves, Willio Campos, Enio Biaggi, Tarcísio Mendonça, Adair Rocha, Hassan Souki e Rogério Vieira estiveram presentes para prestigiar e auxiliar os alunos.

Confira os registros.

QUER CONHECER A DOM HELDER E A EMGE MAIS DE PERTO?

Estamos de portas abertas pra você!

Agende uma visita Tour Virtual

© 2022 Escola Superior Dom Helder Câmara - Todos os direitos reservados - By: Renato Ferraz